domingo, 29 de julho de 2007

Cardeal recomenda escravidão a Nossa Senhora, segundo São Luís Grignion

Nesta mesa São Luís Maria Grignion de Montfort  escreveu o Tratado e a consagração a Nossa Senhora.  Saint-Laurent-sur-Sèvre, França; santuário do Santo.
Nesta mesa São Luís Maria Grignion de Montfort
escreveu o Tratado e a consagração a Nossa Senhora.
Saint-Laurent-sur-Sèvre, França; santuário do Santo.
O Tratado da verdadeira devoção a Nossa Senhora, em que São Luís Maria Grignion de Montfort, admirável missionário francês do século XVIII, ensina a escravidão voluntária à Santíssima Virgem, foi calorosamente recomendado aos sacerdotes pelo Cardeal Ivan Dias, Prefeito da Congregação para a Evangelização dos Povos, em Dublin, Irlanda.

O purpurado mostrou que a "escravidão de amor" não degrada, mas enobrece.

Referindo-se à Medalha Milagrosa, acrescentou que Nossa Senhora "espezinhou o demônio não somente porque é a Mãe de Deus, mas por causa da sua humildade, que é o golpe com o qual calcou aos pés o obstinado orgulho de Lúcifer".

Essa "escravidão de amor" torna o escravo de Nossa Senhora um instrumento que desconcerta o inferno e o esmaga pelo poder da Virgem.



Mártires do comunismo na Coréia rumo aos altares


A agência vaticana “AsiaNews” noticiou o próximo início do processo de beatificação de 36 monges beneditinos martirizados em cárceres e campos de trabalho forçado do regime comunista na Coréia do Norte. Eles preferiram morrer a renunciar à fé católica, entre 1949 e 1952. No cativeiro, eles administravam os sacramentos, pregavam e mantinham alta a esperança dos demais prisioneiros. O grupo de mártires foi liderado pelo Bispo-Abade Bonifácio Sauer e pelo Pe. Benedito Kim. Até o presente, a perseguição comunista norte-coreana vitimou por volta de 300 mil cristãos. O comunismo julga que ganha, massacrando os católicos. Entretanto, os mártires triunfam no Céu, de onde intercedem ativamente para o triunfo da Igreja e da Civilização Cristã.

Príncipe Harry não teme ir combater no Iraque

O príncipe real inglês Harry não irá combater no Iraque, por decisão do Estado-Maior do Exército. O general Richard Dannat alegou que seria perigoso demais. Quem não tinha medo do perigo era o príncipe, que ficou “extremamente desapontado por não poder ir lutar no Iraque” ao lado de seus soldados. Os nobres, desde sempre, pagam um “imposto de sangue” arriscando a vida nas primeiras fileiras do combate. Numerosos príncipes reais, ou de grandes linhagens nobres, deram a vida nos campos de batalha por seus países. Por isso suas memórias são cultuadas com veneração até hoje.

Sede de catolicidade cresce na China

Impressionante número de chineses receberam o batismo na noite de Páscoa, notadamente nas regiões onde os católicos sofrem perseguição e prisões. Segundo a agência vaticana Asianews, a onda de conversões é tal que ficou difícil encontrar padrinhos para os catecúmenos em quase todas as grandes cidades. Os novos católicos são em geral professores e estudantes universitários ou altos funcionários. Eles se sentem frustrados devido à vida materialista imposta pelo regime marxista. Só o Catolicismo os satisfaz. A polícia radicalizou as devassas e violências contra a Igreja do silêncio chinesa — a igreja fiel a Roma. 17 bispos estão desaparecidos ou detidos em regime de isolamento.

Iraquiano convertido exorta católicos contra o Islã

O iraquiano Daniel Ali abandonou o islamismo e tornou-se católico em 1998. Recentemente, numa palestra proferida na Virginia (EUA) diante de 400 pessoas, exortou os cristãos a lutar na primeira fileira, quando a Fé é atacada, e nunca esconder as verdades. Os maometanos, acrescentou, “não gostam de pessoas debilóides e respeitam mais quem defende suas convicções”. Em sua época, os cruzados compreenderam bem isso. Hoje o maior perigo para os cristãos reside não tanto na prepotência muçulmana, mas na moleza e decadência moral dos ocidentais.

Exemplo anticomunista de religiosas polonesas


Segundo a Madre Jolanta Olech, presidente da Conferência de Superioras polonesas, os arquivos da polícia secreta comunista não relacionam mais que 30 religiosas polonesas. Os agentes marxistas queriam saber tudo sobre as religiosas, inclusive sua atitude face ao Concílio Vaticano II. Para isso, pressionaram superioras, catequistas e religiosas de clausura. Eles até tentaram forçar freiras a acusar sacerdotes por assédio sexual. Com o auxílio da graça, muitas religiosas opuseram-se a tal pressão. Seu exemplo contrasta com a atitude de bispos e sacerdotes que colaboraram com a máquina repressiva soviética, visando um acordo – aliás impossível – entre a Igreja e o Estado comunista.

Vitórias conservadoras, pouco divulgadas pela mídia brasileira

A conservadora Coalizão Nacional surpreendeu as esquerdas finlandesas: obteve o segundo lugar nas eleições gerais e deve ascender ao governo. Os social-democratas foram relegados à oposição, fato inédito em 20 anos. Análogo resultado obteve a conservadora Ação Democrática de Quebec (ADC), no Canadá, que se tornou a principal força de oposição ao governo liberal daquela província do país. O avanço conservador enterrou o projeto de tornar a Província de Quebec independente mediante referendo. No Brasil, a mídia deu incompleta cobertura a esses resultados. Se as esquerdas tivessem vencido, os órgãos de imprensa ter-lhes-iam dedicado rumorosas manchetes.

Conservadorismo é mais forte entre os jovens paulistanos

Jovens paulistanos destacam-se como os mais conservadores do Brasil, sendo os que menos apóiam o “casamento homossexual”, a liberalização das drogas e do aborto. Em matéria econômica, 82% deles preferem os investimentos mais conservadores (poupança e previdência privada). Os dados são de uma enquête encomendada pela associação Ação Jovem do Mercado de Capitais, apoiada pela Bolsa de Valores de São Paulo e pela BM&F, realizada na capital paulista, no Rio de Janeiro, em Belo Horizonte, Porto Alegre e Salvador.

Agronegócio salva a economia argentina-


O agronegócio também está salvando a economia argentina. E isto ocorre contrariando a hostilidade do governo populista do presidente Kirchner, constituída por normas e impostos abusivos e até confiscos parciais da colheita (retenciones). A Argentina não sofreu até agora a ação deletéria de uma Reforma Agrária socialista e confiscatória. Sua produção de grãos per capita atinge 2,5 toneladas, enquanto no Brasil ela não chega a 0,7 toneladas, ou seja, quase quatro vezes menor. Quanto o Brasil deixou de produzir por causa da Reforma Agrária? A comparação com a produção de grãos na Argentina parece ser indício significativo para se esclarecer a questão.

Na Espanha: comemoração pelo início da expulsão dos últimos mouros


Na cidade espanhola de Alhama, a igreja de Nossa Senhora da Encarnação (foto), primeiro templo católico a ser consagrado no Reino de Granada, comemorou 525 anos daquele marcante evento, em meio a grande regozijo popular. Dita consagração desencadeou, em 1482, a chamada Guerra de Granada, concluída felizmente com a expulsão dos últimos mouros da Espanha pelos Reis Católicos. O mencionado ato histórico ocorreu por ordem da rainha Isabel, a Católica, cujo processo de beatificação está em andamento. A rainha conduziu essa Guerra até a vitória final, junto com seu esposo, o rei Fernando de Aragão.

Soldados no Iraque pedem mais terços

Os voluntários que fazem terços do tipo Ranger [foto] para os militares americanos no Iraque não dão conta dos pedidos dos capelães na frente de combate, informou "The Catholic Review". Alunas e voluntários da escola católica Santa Maria de Maryland (EUA) já fizeram 70.000 desses terços. Eles são os preferidos, porque adaptam-se bem à dura vida dos combatentes. Também chegam pedidos do Afeganistão e dos navios de guerra. O terço sempre é uma das armas mais poderosas contra hereges e infiéis, quando rezado por almas fiéis e confiantes.

Noviças querem véu e hábito tradicional

Nos EUA as vocações religiosas femininas crescem, a ponto de alguns conventos serem ampliados para acolhê-las. As noviças exigem o véu e os hábitos tradicionais, que a revolução progressista pôs em desuso, segundo noticiou a revista “Time”. “Muitas de minhas irmãs mais velhas nunca usariam o véu, mas agora a tendência das mais jovens é usá-lo”, explicou a religiosa Sarah Roy, de 29 anos. A vida religiosa contradiz a cultura moderna, mas isso atrai as vocações, dizem analistas. “Castidade, obediência e pobreza soam como afirmação radical desejável”, observou o Irmão Paul Bednarczyk, diretor da Conferência Nacional das Vocações Religiosas (vide a seção “Discernindo” desta edição ).

Na Romênia, condenação oficial do comunismo

Traian Basescu

O presidente da Romênia, Traian Basescu, condenou oficialmente o socialismo soviético que oprimiu seu país durante quase meio século. É o primeiro chefe de Estado a fazê-lo. Antes tarde do que nunca: em muitos países ex-comunistas nada foi feito, os membros impunes dos PCs se rearticularam e estão no poder sob máscara populista ou de um socialismo mitigado. Basescu afirmou: “O regime exterminou centenas de milhares de pessoas, [...] tratou toda uma população como um grupo de cobaias numa experiência de laboratório”. O socialismo soviético na Romênia mostrou toda sua face: igualitária, sadicamente criminosa e anticatólica.

Assentado foge, abre fazenda e fica rico

Aquilino Sirtoli deplorou ter caído, 25 anos atrás, no conto da Reforma Agrária e entrado num acampamento dito “modelo” dos sem-terra. Sirtoli abandonou essa enganação, apesar da pressão exercida pelos bispos da Pastoral da Terra e líderes sem-terra. Aceitou do governo um lote em propriedade, e hoje tem uma fazenda de 1.500 hectares quase toda plantada de soja e avaliada em R$ 12 milhões. Entretanto, é considerado "traidor" pelo MST e pela Comissão Pastoral da Terra. Os que ficaram no assentamento amargam a miséria. Sirtoli não é caso único, e esses exemplos confirmam que o melhor auxílio para os que não têm terra é estimular a propriedade privada e a livre iniciativa, e nunca promover luta de classes.

Wal-Mart volta atrás e manda funcionários desejar Feliz Natal!


Todo ano a festa de Natal é objeto de manobras que visam esvaziá-la ainda mais de seu conteúdo religioso.

Mas no Natal de 2005, nos EUA, grupos de católicos conservadores boicotaram a rede Wal-Mart — gigante mundial dos supermercados — porque esta tinha eliminado toda referência cristã em suas lojas e catálogos e proibido os funcionários de cumprimentar com o tradicional Feliz Natal.

Diante da queda das vendas, Wal-Mart ordenou a seus funcionários não mais acatar a anterior proibição e passar novamente a cumprimentar com Feliz Natal. A cadeia também anunciou que deixará de financiar grupos homossexuais.

A descatolização da vida pública não é uma fatalidade, ela pode e deve ser revertida. Mas é preciso que os católicos se coliguem para defender sua religião na sociedade, com inteligência e coragem.

Católicos quadruplicam na Arábia Saudita

Apesar de sanguinária perseguição, os católicos na Arábia Saudita aumentaram 400% em 30 anos: de 200 mil em 1974, passaram para 800 mil hoje, informou o professor de História e Pensamento da Universidade San Pablo de Madrid, José Luis Orella. A Arábia Saudita proíbe todo símbolo cristão e condena até à pena de morte os cristãos surpreendidos pela polícia religiosa praticando seu culto. No total, na Península Arábica há mais de 3 milhões de cristãos. A Igreja Católica mantém um vigário apostólico em Abu Dabi, onde há seis igrejas, além de quatro em Omã e outra no Bahrein.

Escândalos não abalaram a fé de fiéis americanos

Um estudo conduzido por Mark M. Gray, da Universidade de Georgetown, em Washington, mostrou que o escândalo dos abusos sexuais, praticados por membros do clero agindo segundo a moral nova, não levou os católicos a apostatarem ou abandonarem a prática religiosa. Eles reduziram, isso sim, os donativos para dioceses e paróquias. “Eu sou o bom pastor, conheço as minhas ovelhas, e as minhas ovelhas me conhecem” (Jo 10, 14), ensinou o Divino Mestre. O princípio aplica-se plenamente à Igreja Católica. O clero progressista deve renunciar a seus erros e emendar-se, ou seja, abandonar o progressismo. Somente assim poderá ele recuperar credibilidade e influência junto ao público.

Na Polônia, vice-ministro da Educação condena evolucionismo

Miroslaw Orzechowski, vice-ministro da Educação, declarou que a teoria da evolução de Darwin não passa de uma “mentira”, uma “história de caráter literário que poderia servir de enredo para um filme de ciência-ficção” e uma “concepção vil gerada por um homem velho sem fé”. O eurodeputado Maciej Giertych pediu ao governo polonês que a teoria darwinista fosse excluída dos currículos nacionais, visto que “não há provas que a sustentem”. Essas atitudes refletem a convicção dos católicos poloneses de que o evolucionismo está voltado contra Deus e contra a verdade ensinada pela Religião Católica, informou o diário parisiense “Le Monde”.

Brasil poderia tornar-se o maior fornecedor de combustíveis

Nosso País pode tirar a liderança da Arábia Saudita produzindo combustíveis vegetais, noticiou o “New York Times”. Se isso acontecesse, a ofensiva muçulmana sofreria tremendo golpe e poderia arrefecer muito, pois ela é financiada com dinheiro do petróleo. Há portanto um interesse de índole religiosa, vital para a Civilização Cristã e para o Ocidente, em que o Brasil e as nações sul-americanas desenvolvam a produção de combustíveis vegetais. Entretanto, correntes de esquerda, sempre aliadas dos inimigos do cristianismo, combatem tal projeto, assim como sabotam o agronegócio.

Socialismo sueco sofre derrota histórica


O socialismo sueco obteve o seu pior resultado nas urnas desde 1914 e perdeu o governo do país. A vitoriosa oposição de centro-direita fundamentou sua campanha na promessa de reformar o famigerado estado de bem-estar social, que pelo visto não é aprovado pelos cidadãos da Suécia. A coalizão vitoriosa, entretanto, está dividida entre os que quereriam desmantelá-lo pura e simplesmente e os que querem reduzi-lo, concedendo-lhe uma sobrevida envergonhada.

Júbilo no Japão: nasceu um herdeiro varão


O nascimento de um filho varão do príncipe Akishino e da princesa Kiko, nora do Imperador do Japão, suscitou uma onda de júbilo no país. A notícia era aguardada ansiosamente pela população, onde a família real desfruta de ampla popularidade. O bebê será o terceiro na linha de sucessão ao trono japonês. Quando a vida pública é penetrada de espírito familiar, e sobretudo moldada pela boa influência das famílias mais tradicionais, o perigo de degradação moral da sociedade fica muito reduzido.

Escolas públicas separadas por sexo aumentam nos EUA


Mais de 220 escolas públicas americanas criaram aulas só para meninos ou meninas. Muitas outras caminham para esse sistema, assim como numerosas escolas privadas. Estudos científicos mostram que a educação mista causa danos objetivos para a educação das crianças. Na Woodward Elementary School, na Flórida, onde as classes separadas são opcionais, verificou-se que nos cursos só para meninas 75% delas eram aprovadas, enquanto nas classes mistas apenas 57%. Nas classes de meninos os índices de sucesso foram de 86%, e nas classes mistas 37%. 2.221 estudos sobre a educação mista, analisados pelo Ministério de Educação, confirmam em geral as vantagens das aulas separadas por sexo.

EUA: 15 estados ampliam direito à legítima defesa


No período de um ano, 15 estados americanos aprovaram leis que expandem o direito de legítima defesa, aumentando as possibilidades de resistência armada das vítimas em perigo de morte, noticiou o “The New York Times”. Os cidadãos responsáveis e associações como a National Rifle Association se rejubilaram. Mas os partidários do desarmamento reagiram à nova legislação com sarcasmos e desprezos, deplorando que se permita o direito natural de usar armas de fogo para defender a propriedade privada.

Manuscrito de carrasco reabilita Luís XVI


O leilão, em Londres, do relatório de Charles-Henri Sanson, carrasco do rei da França Luís XVI, causou sensação. Segundo Sanson, face à morte, o martirizado soberano "manteve um sangue-frio e uma fortaleza que nos deixou a todos admirados. Estou muito convencido de que ele tirava essa força dos princípios da religião. Ninguém jamais me pareceu tão compenetrado e persuadido deles". O verdugo descreve o domínio que o rei tinha sobre si mesmo, e como lhe estendeu espontaneamente as mãos para serem amarradas antes de ser guilhotinado. As difamações dos asseclas da Revolução Francesa contra o monarca, hoje lembrado com respeito por inúmeros franceses, ficam assim desacreditadas.

Medalhas de Santa Joana d´Arc para soldados no Iraque


A artista americana Pat Benincasa ficou muito sensibilizada quando ouviu que as tropas dos EUA no Iraque precisavam de mais coletes antibala. Não sabendo o que poderia fazer para proteger os soldados, por fim, concebeu uma medalhinha de Santa Joana d´Arc a fim de ser usada pelos militares. “Na medida em que dependia de mim, Joana está cavalgando de novo”, afirmou. A medalha representa a santa a cavalo, com couraça e estandarte, figurando as seguintes palavras gravadas: "Santa Joana, ficai a meu lado". Escolas compraram pacotes de medalhas para enviá-las às tropas no Iraque. Um capelão militar naquele país foi dos primeiros a encomendar 500. Cá e lá a ofensiva islâmica vai despertando, a contrário senso, certo espírito de cruzada e uma sadia reatividade.

Embaixador de Taiwan é batizado em Roma

Chou Seng Tou, embaixador da República da China (Taiwan) junto a Santa Sé, recebeu o batismo na igreja de Santo Eugênio, Roma. Ele sentia-se frustrado pelo confucionismo e o budismo. O protestantismo não lhe dizia nada. Na Itália, ficou tocado pela paz e a felicidade interior que observou nas religiosas e impressionou-se com a vida dos santos. Quando abriu sua alma a essas realidades, sentiu-se inundando de alegria e entendeu que o Espírito Santo o chamava. Ele pediu ao Vaticano para ser batizado pelo Papa. Porém, recebeu uma recusa, pois o Vaticano segue uma política de distensão com a China comunista — o que tem prejudicado os autênticos católicos chineses —, e quer evitar fricções com ela, dado que o regime de Pequim não reconhece a independência de Taiwan.

Iranianos desafiam ditadura dos aiatolás


No Irã, policiais especiais controlam nas ruas o modo de a população se vestir. Aplicaram-se mais de 10.000 multas. 3.000 lojas foram inspecionadas, e 290 punidas. Entretanto, dissemina-se a desobediência cultural aos aiatolás. Nos lares, as leis referentes aos trajes são burladas. A censura da mídia é transgredida por TVs via satélite, e por mais de 100.000 sites na Internet, elaborados por iranianos exilados. A ira fundamentalista revida com sabotagens e ameaças pessoais. A oposição assumiu posições ousadas. Em vários campus universitários de Teerã, estudantes manifestaram-se bradando “Não queremos energia nuclear” e “Esqueça a Palestina, pense em nós”. Tais protestos constituem aberto desafio ao presidente Ahmadinejad. Nem a ditadura cultural muçulmana é aceitável, nem as modas indecentes do Ocidente. Só a moral cristã tradicional apresenta solução.

Passeata contra ecologia exagerada fez sucesso na Inglaterra


A violência dos ecologistas pelos chamados “direitos dos animais”, ou ecoterrorismo, tem depredado laboratórios e fazendas de aperfeiçoamento de animais. Para isso, usam métodos que vêm sendo copiados no Brasil pela Via Campesina (uma multinacional das invasões) e o MLST. Devido a essa onda, Laurie Pycroft, estudante de Swindon, Inglaterra, organizou uma passeata a favor dos testes científicos com cobaias, nas ruas de Oxford, sede da famosa Universidade, onde os ecoterroristas bloqueavam a instalação de um laboratório novo. “Salve vidas humanas, teste em animais” e “Abaixo as ameaças, abaixo o medo, queremos pesquisas com animais aqui” — diziam os cartazes. O sucesso da marcha comprovou a repulsa da opinião pública inglesa às imposições antinaturais dos verdes.

Monarquia inglesa: "estrela polar" face ao caos moderno


A rainha da Inglaterra, Elisabeth II, completou 80 anos. O "New York Times" – totalmente insuspeito de tendências monarquistas – publicou reportagem com sugestivo título, composto com uma frase dita pela rainha quando muito jovem: "Eu não tenho outra coisa para vos dar senão amor. Nos momentos mais difíceis do longo reinado, a soberana transitou em carruagens abertas e estreitou as mãos de multidões, enquanto os primeiros-ministros britânicos circulavam em helicópteros e carros blindados. "A História [...] galopa como uma desvairada. Ante o turbilhão espumante do tempo, a monarquia é uma estrela polar", reconheceu um colunista francês, ardido opositor de todas as realezas.

Canadá descarta descriminalização do porte de droga

O primeiro-ministro conservador do Canadá, Stephen Harper, arquivou projeto de seu predecessor de centro-esquerda, que visava descriminalizar a posse da maconha. O premiê foi vivamente aplaudido pela Associação Profissional da Polícia do Canadá, segundo a agência Reuters. Se fosse descriminalizada a posse de droga, o combate ao narcotráfico tornar-se-ia impraticável.

Banco do Brasil retirou obra blasfema devido a protestos


No Rio, o Centro Cultural Banco do Brasil, que promovia a exposição de obra pornográfica formada com terços de Nossa Senhora, teve que retirar essa "obra de arte" blasfema. O BB reconheceu ter recebido mais de 700 e-mails com protestos, que incluíam acenos de clientes que pretendiam fechar as contas no banco. A Revolução Cultural anticristã no Brasil só avança quando não encontra oposição. Exemplo significativo disso: bastou uma manifestação popular contra essa exposição blasfema para que tal revolução desse marcha à ré.

Público se distancia do cinema engajado com esquerdas

Cartaz do Oscar 2006: público descolado
"O
s filmes já não lideram mais a cultura como no passado", lamentou o insuspeito diário "New York Times" por ocasião da outorga dos prêmios Oscar de 2006. Na festa, o apresentador John Stewart invectivou Hollywood por estar "fora de compasso" em relação às apetências do público. Atores e atrizes, então, passaram a evitar roupas escandalosas e a usar modelos clássicos, com preferência pelas cores escuras. O filme O segredo da Brokeback Mountain, preferido quase unanimemente pela mídia devido a seu enredo homossexual, não obteve o primeiro prêmio.

Para demógrafo, os "conservadores herdarão a terra"

Phillip Longman
Os "conservadores herdarão a terra", concluiu desolada a conceituada revista esquerdista "Foreign Policy". A frase é do demógrafo Phillip Longman. Ele diz que a diferença numérica entre as famílias conservadoras, que têm vários filhos, e o "povo de esquerda" libertário e egoísta, que não tem família nem filhos, provoca uma inevitável inversão de maiorias religiosas e culturais no mundo. Segundo Longman, os Estados americanos com famílias mais prolíficas deram a vitória a Bush. O demógrafo deplora um provável "retorno do patriarcado", pela restauração da autoridade paterna e pelo reforço da família.

Proclamado oficialmente o 67º milagre de Lourdes

Anna Santaniello Dom Gerardo Pierro, Arcebispo de Salerno, Itália, reconheceu oficialmente a cura miraculosa de Anna Santaniello, hoje com 94 anos. Ela peregrinou a Lourdes há 50 anos, quando sofria de letal reumatismo articular agudo, ou doença de Bouillaud, de natureza cardíaca. Essa enfermidade desapareceu enquanto Anna Santaniello tomava banho na piscina da Gruta. A Comissão Médica Internacional de Lourdes (CMIL), composta por médicos de todas as crenças, analisou o caso durante décadas e concluiu não haver explicação científica para a cura. Este é o 67º milagre de Lourdes proclamado pela Igreja.

Jovens lideram oposição ao aborto na Inglaterra


Na Inglaterra, onde se pode abortar até a 24ª semana de gestação, 80% da população afirmam que 200.000 abortos anuais "é demais". 89% acreditam que a legislação sobre o aborto deve ser continuamente revista e levar em consideração os progressos da medicina, que permitam ajuda e atenção cada vez mais precoces em relação aos nascituros. 62% acham que a lei deve ser restringida "significativamente". 75% dos jovens de 18 a 24 anos apóiam essa posição, formando o grupo social mais oposto ao massacre de inocentes. "A enquête mostra quão desatualizada e fora da pista ficou a lei de aborto", disse a responsável da sondagem, Citra Abbot. A Communicate Research pesquisou 1005 britânicos no 38º aniversário dessa cruel legislação abortista.

Natal: coragem católica venceu gigante dos supermercados


O Wal-Mart, maior rede mundial de supermercados, em 2005 sofreu nos EUA boicote nacional liderado por advogados católicos. Fingindo desconhecer o Natal, a rede baniu o tradicional cumprimento cristão Merry Christmas e promoveu as festas de outras religiões. O Wal-Mart reagiu ao boicote com uma esdrúxula declaração de que se baseava em doutrinas sobre uma suposta origem pagã do Natal. No fim, a pressão católica prevaleceu e o Wal-Mart pediu desculpas públicas por sua resposta "imprópria e inflamada". Os católicos americanos estão empenhados na restauração da festa do Nascimento de Nosso Senhor Jesus Cristo em seu país.

sábado, 28 de julho de 2007

Cresce o prestígio de Maria Antonieta e cai o da Revolução Francesa


Sobe sempre mais a popularidade da rainha Maria Antonieta –– guilhotinada em 1793, pelo ódio anticatólico da Revolução Francesa — segundo “Le Figaro Magazine”. Livros em defesa da rainha-mártir são editados todo ano. Para Nathalie Brion, especialista em evoluções sociais, hoje "a popularidade de Maria Antonieta não nos surpreende, sobretudo porque a procura da renovação se faz em clave de contra-revolução". A historiadora Evelyne Lever afirma: "Durante muito tempo, o ideal republicano pretendeu justificar a condenação iníqua e bár­bara de Maria Antonieta. Essa visão hoje foi abandonada. Isso explica a virada atual".

Nos EUA, defesa das comemorações natalinas


Em cada Natal verificam-se tentativas de diminuir-lhe a essência religiosa. Nos EUA deseja-se banir os símbolos natalinos dos locais públicos e lojas, até mesmo uma simples árvore de Natal. Há tentativas para se proibir até a saudação Feliz Natal!. Porém, o Alliance Defense Fund anunciou que 800 advogados estarão a postos em todo o país, para atuar ante os juízes defendendo a liberdade de celebrar o Natal em toda a sua dimensão religiosa. O grupo The Truth Matters anunciou a Operação Natal, que promove presépios nos jardins das casas em sinal de protesto contra a ofensiva anticristã. Para este fim, presépios especiais de todos os modelos e preços encontram-se facilmente à venda.

Cardeal de Mumbai interdita roupas imorais nas igrejas

O Cardeal Ivan Dias, Arcebispo de Mumbai (Índia), elaborou um código moral para as roupas dos fiéis. “A igreja é a casa de Deus. Então, aquele que vem aqui deve apresentar-se de uma maneira condizente”, disse. Diana Matthew, 55 anos, comentou: "Eu vou rezar ao Criador, portanto devo me vestir decentemente. Estou muito feliz, vendo que afinal foi adotado um código de roupas”. Seema Jacob, 22 anos, da Universidade SNDT, opinou: "A igreja não é um local para pessoas de mini-saia ou roupas que descobrem o corpo". A medida desagradou o clero progressista e aqueles fiéis que professam o relativismo moral, informou Express News Service.

850.000 espanhóis contra o diálogo entre socialistas e ETA

Mais de 850.000 espanhóis protestaram nas ruas de Madri contra o diálogo —a bem dizer, concessão— que o governo socialista de Zapatero vem mantendo com a organização terrorista basca ETA. O ato foi convocado pela Associação das Vítimas do Terrorismo. O povo bradava “Zapatero embusteiro”, “Não se dialoga”, “Negociação no meu nome, NÃO”. As autoridades socialistas ausentaram-se da manifestação escandalosamente, segundo os jornais madrilenos. Simultaneamente, o partido ilegal Aribatasuna — fachada dos terroristas da ETA — promoveu marcha em Bilbao de apoio ao diálogo desejado pelo governo socialista.

11.669 prefeitos franceses repudiam “casamento” homossexual

Na França, 11.669 prefeitos franceses assinaram apelo contra o “casamento” homossexual. Eles “desaprovam todo projeto de casamento entre pessoas do mesmo sexo” e “contestam o envolvimento do prefeito numa celebração desse tipo”. Num apelo ao primeiro-ministro da França, os prefeitos reafirmaram que “o casamento, para nós, consiste verdadeiramente no engajamento de um homem e de uma mulher, visando fundar um lar”, e que “isto é parte fundamental no edifício social de nosso país”.

Após 70 anos de espera, católicos recebem sacramentos

Vinte e dois católicos do Azerbaijão receberam os sacramentos do Batismo e/ou da Confirmação, após suportar 70 anos de perseguição comunista, esperando que um sacerdote lhes proporcionasse a recepção de sacramentos. O catolicismo foi varrido daquele país pelo socialismo soviético. A catedral da Imaculada Conceição, na capital Baku, foi demolida. Os sacerdotes foram mortos, e os católicos não podiam usar nomes cristãos. Mas perseveravam na clandestinidade, sem contar com um padre sequer que os sustentasse. O Núncio Apostólico no país, Claudio Gugerotti, que lhes ministrou os sacramentos, comentou: “Lia-se em seus rostos as palavras do velho Simeão: ‘Agora, Senhor, podes levar teu servo em paz’” (Lc 2,2).

Líder homossexual fala da decadência do movimento

Larry Kramer, criador do lobby homossexual Act Up, lamentou a decadência da corrente homossexual nos EUA, patenteada por ocasião da reeleição de Bush e dos plebiscitos que banem o "casamento" homossexual. "Quase 60 milhões de pessoas [...] votaram contra nós. Quase 60 milhões [...] julgam que somos uns imorais", disse Kramer. Segundo ele, os homossexuais têm culpa pela Aids: "Desde o primeiro momento foi-nos dito que essa doença seria causada por um vírus. Não quisemos aceitar nossa responsabilidade e optamos por não escutar. [...] Essa atitude acabou sendo mortal". O longo e amargo queixume acaba de ser publicado em livro.

Ser reacionário é considerado “moderno”


Antoine Compagnon, professor de Literatura Francesa na Universidade da Sorbonne, em Paris, defendeu em entrevista ao “Figaro Magazine” que hoje ser moderno não é mais exibir-se com a última coqueluche da moda intelectual ou material, mas sim mostrar-se reacionário e até contra-revolucionário. Vivemos, segundo ele, um momento em que a dianteira está com a antimodernidade.

Jovens voltam a práticas religiosas de seus avós


Segundo o estudo World Values Survey, efetuado em 58 países e coordenado pela Universidade de Michigan (EUA), a “geração do milênio”, isto é, os nascidos em 1982 ou depois, retorna às práticas religiosas e condutas da geração anterior à II Guerra Mundial. Esses jovens dão mais importância à religião do que a “geração Vaticano II” (nascida entre 1943 e 1960) ou a “geração pós-Vaticano II” (entre 1961 e 1981). Para D.John Strynkowski, reitor da catedral de St. James, em Brooklyn (Nova York), é “um retorno ao tradicionalismo”. Segundo ele, após o Concílio Vaticano II muitos sacerdotes abandonaram a tradição, e agora estão desconcertados vendo os jovens procurando as práticas devocionais de seus avós.

Obras de arte moderna apodrecem em Paris


As obras de arte moderna que o presidente socialista Mitterrand espalhou pela capital francesa estão caindo aos pedaços, segundo o diário parisiense “Le Figaro”. Redes seguram as placas da fachada do novo prédio da Opéra-Bastille; o mármore do teto da Arche de la Défense ameaça descolar; o conserto das contestadas colunas de Buren, no Palais Royal, custará 2,6 milhões de euros. Para os parisienses, essas “peças de arte”, além de prejudicar a beleza da cidade, são frágeis e efêmeras, exigindo manutenção mais cuidadosa que as pirâmides do Egito. E eles se perguntam se não vale a pena desistir de tais obras "artísticas" e empregar o dinheiro na restauração de peças de genuína arte.

Brasília: elogiado uniforme de gala de renomado colégio

O colégio Galois, de Brasília, colocou o uniforme de gala no uso quotidiano. Desapareceram os tênis, as malhas, as camisetas e os jeans. E começou o uso dos sapatos, das camisas brancas com botões e mangas compridas, da gravata cor de vinho, da calça social preta ou saia xadrez. O Galois quer resgatar os valores tradicionais. “Me senti na Europa, foi muito lindo. Me trouxe boas recordações de quando eu era estudante”, comentou a mãe de um aluno.

A diretora, Dulcinéia Nakamura, explicou: “A moda de hoje tem deixado as meninas deformadas. Elas sentam e se portam como homens. Perderam o glamour e a elegância”. Para a diretora, as escolas particulares do DF aderirão à idéia em pouco tempo.

Adolescentes americanos: opção pela virgindade

Nos Estados Unidos,73% dos adolescentes entre 13 e 16 anos declaram-se virgens. 74% deles dizem que agem assim por decisão consciente. E 42% acrescentam que assim o fazem por razões morais ou religiosas. O grupo de jovens mais moralizados é o católico. Os protestantes vêm abaixo, mais próximos dos ateus ou pagãos.

O estudo foi encomendado pela NBC News e a revista “People Magazine”. Os resultados alertam os pais para não terem medo de ensinar a boa doutrina moral aos filhos, disse Rick Schatz, presidente da National Coalition for the Protection of Children & Families.

Protesto faz TV espanhola escusar-se por blasfêmia

O espanhol Canal+ de TV pediu desculpas ao público, após transmitir ignóbil programa blasfemo que ensinava “como cozinhar um crucifixo”. A imagem de nosso Redentor adorável era picada, refogada na manteiga e colocada no forno, para sair no “terceiro dia ao ponto”. O Canal+ pertence ao poderoso grupo de mídia PRISA, que sustenta o governo socialista do primeiro ministro Zapatero e vem denegrindo sistematicamente a Igreja católica. Ele só se retratou devido à avalanche de protestos dos católicos.

Americanos retornam à tradição e às boas maneiras

Emily Hertzer, 25 anos, graduada na Universidade Yale, nos EUA, abandonou a militância esquerdista e engajou-se no movimento conservador. Ficou assustada pela vulgaridade de maneiras dos ativistas do candidato democrata Kerry na última campanha presidencial, e agora pretende dar novo impulso à Newportant Foundation, instituição que visa restaurar a civilidade e as boas maneiras. De imediato, ela quer trazer de volta a velha tradição britânica dos chás elegantes, com a participação de membros das famílias de 400 anos ou sangue azul de Newport e Rhode Island. A revista The New Yorker noticiou, escandalizada, o auspicioso fato.

Maioria dos brasileiros tem visão hierárquica do mundo

O brasileiro aprecia a hierarquia social e é avesso ao igualitarismo socialista. É o que confirmou a Pesquisa Social Brasileira (PESB), coordenada por Alberto Almeida, professor da Universidade Federal Fluminense (UFF). Tal pesquisa registrou: 65% dos brasileiros rejeitam que patrões e empregados usem a mesma piscina. E 56% são de opinião que os empregados utilizem o elevador de serviço, ainda que possam usar o elevador social. Para essa maioria, as pessoas têm posições sociais predefinidas, que devem cumprir. Por exemplo, o homem deve sustentar a família, e a mulher cuidar dos filhos e da casa. Manda-se e se obedece em atenção a títulos, honrarias, contatos pessoais e dados equivalentes.

Têm mais espírito hierárquico os habitantes do nordeste e do centro-oeste que os do sul; os moradores das cidades menores, mais do que os das metrópoles; as mulheres do que os homens; os mais velhos, do que os jovens; os pobres, mais do que os ricos; os menos do que os mais instruídos. É claro que nesse contexto, em que sobressaem importantes aspectos do verdadeiro espírito católico e do bom senso da população brasileira, os apelos à luta de classes custam muito para vingar.

Vinhos: aumento da variedade e da qualidade

Aparecem incessantemente novos tipos de vinho que atendem a um público sempre mais interessado e amplo. Esta boa tendência desconcerta aqueles que achavam que a abundância de combinações de cepas, terras, climas e “milésimos” acabaria sendo superada e chegar-se-ia a uma bebida do tipo da Coca-Cola, feita de produtos químicos, a qual seria vendida em latinhas para um mundo massificado. E eis que se verifica o inverso: “Um formidável momento de renascença” — comentou a revista francesa “Le Figaro Magazine”.

O fenômeno envolve uma multidão de viticultores mais recentes em novas regiões na França e no mundo. O Brasil também vem surpreendendo pelo crescimento da qualidade e das variedades dos seus vinhos nos últimos 10 anos, bem recebidos por um público nacional cada vez mais numeroso, exigente e de bom gosto.

Castidade pré-matrimonial, êxito contra o AIDS

Durante uma conferência de cúpula de 17 países africanos sobre o AIDS, o presidente de Uganda, Yoweri Museveni, negou-se a distribuir preservativos nas escolas. Segundo ele, isso só causará mais contágios. “É inaceitável ensinar aos alunos como serem promíscuos e usarem preservativos. [...] Deveríamos achar outras formas de ocupar as mentes de nossas crianças”, disse.

Yoweri Museveni, presidente de Uganda
Uganda é o país que alcançou maior êxito na luta contra a AIDS, porque promove a abstinência sexual pré-matrimonial. Os resultados superam tudo o que pretendem ter feito outros países ensinando práticas antinaturais, condenadas pela moral católica. Nestes a disseminação da pandemia vem se agravando.

Terço: arma espiritual usada por soldados

Alunas da Saint Mary
Os alunos da escola paroquial de Saint Mary (Annapolis, EUA) confeccionaram novo modelo de terço de Nossa Senhora, fiel à boa tradição. É o Ranger Rosary, criado para os Ranger, tropa de elite do exército americano.

Ele é ideal para “as condições de combate de nossos soldados”, disse o Pe. Pat Travers, capelão da base aérea de Kirkuk (Iraque). O terço é feito com fio de pára-quedas. As contas e o crucifixo são de material ultra-duro e leve. As cores se adaptam melhor à camuflagem dos uniformes do que modelos mais frágeis, de cor pastel, rosa ou azul. “Quase todos os capelães militares os usam”, explicou o sargento Frank Ristaino. Para ele, o terço é um dos instrumentos dos guerreiros modernos, junto com metralhadoras, granadas e botas de combate.

O terço Ranger Rosary para as tropas norte-americanas no Iraque
Membros da Legião de Maria orientam os alunos da Saint Mary e as escolas e associações paroquiais, que já enviaram 15.000 terços para as tropas em missão. O Pe. Bill Devine viu os terços Ranger pendurados em veículos, tanques e quartéis no Iraque, e soldados usam-nos até no pescoço: “Eles lembram constantemente o poder da intercessão e proteção de Nossa Senhora sobre aqueles jovens”.

Bom senso joga “obra de arte” moderna no lixo

Gustav Metzger: autor da pseudo-"obra de arte"
Tate Gallery
Numa exposição de arte moderna na Tate Gallery, de Londres, uma das peças principais tinha o extravagante nome de Recreação da Primeira Demonstração Pública da Arte Autodestrutiva. Consistia num saco de lixo transparente cheio de jornais, papelão e outros pedaços de papel, junto a um lençol de nylon borrifado com ácido, além de uma escultura de metal sobre uma mesa. Essa “obra de arte” sumiu. Depois de muita procura, afinal descobriu-se a responsável: uma pobre faxineira de bom senso e sem más intenções achou que fosse lixo, e a jogou fora. O autor — o alemão Gustav Metzger — não teve muito trabalho em fazer outra, que agora é coberta às noites para protegê-la do bom senso e... da boa limpeza!

Vestes tradicionais e moralizadas: anseio dos nigerianos


No Brasil há modas imorais e vulgares, apresentadas como manifestação da cultura afro ou inspiradas na África. Porém, no mais populoso país africano, a Nigéria, as novas modas são recusadas e ganham terreno as vestimentas tradicionais, coloridas, originais e moralizadas.
Atendendo aos protestos dos fiéis, o Arcebispo de Lagos, capital do país, Cardeal Antônio Okogie, instruiu os sacerdotes para interditar nas igrejas “modas que promovem a luxúria e a imoralidade”. 

Segundo o “New York Times”, a maioria das mulheres nigerianas quer usar na casa de Deus roupas tradicionais do país, que consistem em coloridas blusas e vestidos longos, bem como elaborados véus de brocado ou tafetá. 

Os homens portam a tradicional vestimenta masculina nigeriana, espécie de ampla túnica bordada, constituída de leves brocados ou ternos ocidentais.

Na Austrália: volta à sadia ordem familiar

Na Austrália, até líderes feministas radicais “estão começando a lamentar as obscuras conseqüências da liberdade sexual”, declarou o ministro da Saúde Tony Abbot. De fato, generaliza-se no público a idéia de que a prática do aborto foi danosa ao país. A matança dos inocentes atinge no país a cifra de 100 mil vítimas por ano.

Segundo o jornal “The Australian”, o ministro disse que “o legado de uma sociedade permissiva — famílias quebradas, doenças mentais — sugere que os antigos ‘tabus sociais’ tinham certa razão”. A Austrália acaba de aprovar lei que só aceita o matrimônio entre homem e mulher. Essa legislação exclui qualquer outro tipo de “união” e desconhece os “casamentos” antinaturais realizados no exterior.

Pesca miraculosa, em nossos dias, na Ilha do Mel

Os pescadores da Ilha do Mel, no Paraná, pescavam não mais que 20 peixes por dia, até que a imagem de Nossa Senhora do Rocio, padroeira do Estado, foi àquela Ilha — aliás, pela primeira vez em sua história. A partir daí, o resultado multiplicou-se por 400. Em 27 de julho, pescaram cerca de oito mil peixes! A população local está convencida do milagre. O Padre Roque, do Santuário de Nossa Senhora do Rocio, em Paranaguá, estava no local e narrou: “Uma senhora anunciou que eles tinham feito uma pesca maravilhosa. Vimos fotos e chegamos a comer algumas taínhas assadas”.

Criacionismo em escolas deixa evolucionistas temerosos


O criacionismo pode ser ensinado livremente em aulas de religião nas escolas públicas dos 92 municípios fluminenses. Até há pouco, o evolucionismo — teoria materialista nunca demonstrada cientificamente — era a única doutrina sobre a origem do homem ensinada nas escolas oficiais do Estado do Rio de Janeiro. Entretanto, amiúde ela continuará sendo exposta nas aulas de biologia.

André Porto, do Movimento Inter-Religioso, ligado ao Instituto Superior dos Estudos da Religião (Iser), parece ter ficado muito inseguro com o fato de o criacionismo ter obtido um lugar ao sol nas escolas. Segundo ele, não proibir o criacionismo na escola pública é um “retrocesso”. “O que está acontecendo no Rio e na Bahia — onde existe lei análoga — é abominável. Estamos voltando 200 anos no tempo. […] Isso que está sendo feito é medieval, maquiavélico”.

Carta infantil abala ditadura da moda


Bastou apenas a carta de uma menina de 11 anos, reclamando pela falta de roupas moralizadas nas prateleiras das lojas, para que a poderosa cadeia norte-americana de vestuário Nordstrom ficasse abalada e prometesse corrigir o erro.

Ella Gunderson, de Seattle (Estado de Washington), que pertence ao grupo católico Desafio, queixou-se aos diretores da Nordstrom pelo fato de eles só oferecerem roupas que descobrem o abdômen e peças íntimas de vestuário. E acrescentou que tal atitude da Nordstrom parece revelar que a empresa julga que “todas as meninas devemos andar meio nuas”. Em face disso, a Nordstrom prometeu oferecer alternativas decentes para as moças. O caso não é o primeiro. Em 2002, a loja Dillard passou a vender roupas com mais modéstia para as jovens, após queixas formuladas por um grupo juvenil de Arizona.

Heroísmo da Guarda Suíça suscita admiração


A Guarda Suíça Pontifícia comemorou os 500 anos da sua fundação. Na cerimônia, realizada com a presença de membros da Cúria Romana, representantes diplomáticos e autoridades civis e religiosas da Suíça, cada um dos 33 novos recrutas da Guarda Suíça jurou “servir com fidelidade, lealdade e honra o Sumo Pontífice, [...] com todas as minhas forças, sacrificando inclusive, se necessário, minha própria vida”.

O sangue derramado heroicamente pela Igreja é uma glória dessa secular guarda do Papa. Peregrinos e turistas que visitam Roma procuram ver a Guarda Suíça e tirar fotos de seus componentes em seus belos uniformes.

Líder anglicano converte-se ao catolicismo

O líder anglicano Edward Norman, chanceler da catedral de York (Inglaterra) e renomado historiador eclesiástico, anunciou sua conversão ao catolicismo, no livro Dificuldades anglicanas: um novo guia de erros. Nele, Norman escreve que no anglicanismo "a covardia moral habitual é apresentada como sendo um juízo sábio, e a ambigüidade na formulação dos compromissos é uma segunda natureza para os líderes". Norman declarou ao "Daily Telegraph" de Londres: "Não acredito que [a anglicana] seja realmente uma igreja".

Norman havia aprovado a ordenação de sacerdotisas, mas agora manifesta-se contrário a essa medida. Ele se baseia "na evidência": "De início as sacerdotisas foram apresentadas como um enriquecimento do sacerdócio. Esse enriquecimento nunca aconteceu". Elogiou a "sabedoria de Nosso Senhor, que confiou o sacerdócio ao homem".

Americanos querem ser governados pelas elites tradicionais


"Nós, na realidade, amamos nossos sangues azuis", escreveu David Brooks, do "The New York Times". O fato é que os dois últimos candidatos à presidência americana pertencem a famílias representativas da história do país. A começar pelo candidato democrata, John Kerry, que descende do primeiro governador da antiga colônia de Massachusetts, e que freqüentou os melhores colégios e universidades.

"Na Grã-Bretanha, nenhum deles [Bush e Kerry] poderia liderar um partido. Seus pedigrees da mais alta classe social seriam desqualificados. [...] Não queremos realmente ser governados por gente como nós mesmos. Queremos os descendentes das linhagens nobres. [...] Deus abençoa a elite", acrescentou Brooks.

Linda Colley, do esquerdista "The Guardian", de Londres, a respeito do assunto, comentou acidamente: "A política americana continua, em alguns aspectos, seguindo os caminhos do que era no século XVIII. Sua Constituição foi escrita em 1787 por homens que [...] ainda pensavam e se comportavam como britânicos do século XVIII. Como resultado, os EUA preservaram, na essência, tradições".

Maioria dos brasileiros rejeita imoralidade carnavalesca

Quem julgasse o Brasil em função da TV, do rádio e dos jornais, diria que o País dá apoio incondicional ao carnaval. E, o que é pior, que delira com seus aspectos mais imorais, postos em relevo pela mídia. Felizmente, a realidade é bem diversa. Pesquisa encomendada pela "Confederação Nacional do Transporte" (CNT), realizada pelo Instituto Sensus, mostrou que 57,4% dos brasileiros não querem nem ouvir falar do carnaval. A enquête consultou 2 mil pessoas em 195 municípios, no mês de fevereiro.

Os carnavalescos ficaram surpresos com o índice de reprovação. O professor de cultura popular da Universidade Estadual Paulista (Unesp), Alberto Ikeda, comentou: "Atribuo esse índice baixo à questão da moral. Como o carnaval expõe o nu, é combatido por grupos religiosos mais conservadores, que cresceram muito nos últimos 20 anos". Omitiu ele de mencionar o efeito contraproducente na opinião pública das ofensas à religião, quando não a blasfêmia, ocorridas durante os dias de carnaval.

Mais anglicanos desejam converter-se ao catolicismo


Toda uma diocese episcopaliana (anglicanos dos Estados Unidos), escandalizada pela nomeação de um bispo homossexual nessa confissão religiosa, pediu a admissão na Igreja Católica. A informação é do Arcebispo de Seattle, Mons. Alexander J. Brunett. O prelado acrescentou que o Vaticano vem recebendo “muitas mostras de mal-estar por parte dos bispos anglicanos de todo o mundo”, por causa daquela nomeação.

Os anglicanos romperam com a sucessão apostólica, e há séculos não ordenam nem sagram verdadeiramente padres ou bispos. A nomeação de sacerdotisas provocou muitas conversões dessa seita protestante ao catolicismo, inclusive de sacerdotes e bispos.

Moradores de rua entusiasmados com casamento de alto luxo


Fazia frio quando 400 seguranças afastaram meninos e moradores de rua na Praça da Sé, em São Paulo. A causa foi um casamento da riqueza e da tradição, com 1.200 convidados. A praça virou estacionamento de carros deslumbrantes. Quando chegou a noiva, das centenas de pobres nasceu um burburinho de admiração e estourou um espontâneo coro: "Fe-li-ci-da-des! Fe-li-ci-da-des!". Um sacerdote da Pastoral de Rua, em sandálias de couro, calças e camisa esporte, chegou e ouviu dos moradores de rua emocionados: "Aí, padre, entra lá na igreja. Vai nos representar no casório". O religioso alegou ter esquecido o RG em casa. Na saída, a noiva foi ovacionada como uma princesa. Realmente, falar de luta de classes no Brasil soa como piada ou especulação de intelectual marxista...

A mais antiga empresa familiar da Alemanha


Já completou mais de 750 anos o Vinhedo dos Príncipes de Hohenlohe-Oehringen, em Baden-Württemberg, a mais antiga empresa familiar da Alemanha. Essa casa da mais alta nobreza recebeu as vinhas em 1253. Hoje é dirigida pelo Conde Constantin zu Hohenlohe-Oehringen, da 27ª geração viticultora da família. O Conde Hans Konrad, pai do Conde Constantin, restaurou as vinhas destruídas na II Guerra Mundial, as quais hoje produzem prestigiosos vinhos. O Conde Constantin trabalha para que o costume dure mais 750 anos, apoiado na propriedade tradicional de uma família. Tradição, estabilidade, segurança, nobreza, família e propriedade –– valores indissoluvelmente unidos, cultuados à luz da razão sob a inefavelmente doce Luz de Cristo, o Lumen Christi.

Filme sobre monges cartuxos lota cinemas na Alemanha


O documentário O Grande Silêncio lotou cinemas na Alemanha. Com três horas de duração, retrata a vida dos monges cartuxos da Grande Chartreuse, na França. Os cartuxos constituem a mais severa ordem contemplativa católica. Na França não foi comercializado. Temia-se que passasse na frente de Harry Potter. O cineasta Philip Groening esperou 17 anos pela autorização, viveu meses no mosteiro sem luz elétrica, viu os monges com seus hábitos sacrais entoarem cantos gregorianos durante as noites e saiu, segundo ele, mudado. O que causa tanta admiração nessa vida tão oposta à do mundo atual? É que no silêncio o Espírito Santo fala, e diz coisas de uma doçura que nossa era de comunicação frenética e global desconhece totalmente. -