segunda-feira, 30 de março de 2009

No Kazakistão ergue-se catedral em honra a Nossa Senhora de Fátima sobre antigo campo de concentração


Na cidade de Karaganda, capital do Kazakistão, segundo informou a agência vaticana Fides, será inaugurada uma nova catedral (foto) dedicada a Nossa Senhora de Fátima.

Durante mais de 50 anos o comunismo tentou apagar a fé no país.

A região virou “um imenso campo de concentração”, para o qual foram deportadas milhões de pessoas de 120 etnias.

Ali foram martirizados inúmeros católicos, entre os quais o Pe. Alexis Saritski, beatificado em 2001.

A nova catedral, construída em estilo gótico e revestida com pedras do Cáucaso, honrará a memória desses mártires.

Fiéis de todo o mundo, organizados por campanhas como a da italiana Luci sull’Est, obtiveram os recursos para esta vitória de Nossa Senhora de Fátima.

Desejaria receber atualizações instantâneas e gratuitas no meu email

quarta-feira, 25 de março de 2009

Festa da Anunciação. Luz sobrenatural que irradiam os personagens pintados pelo Beato Angélico

Anunciação, Museu do Prado, Madri. Fra Angélico
A cena famosa da Anunciação do Arcanjo São Gabriel a Nossa Senhora, no retábulo pintado por Fra Angélico, constituiu para a humanidade uma hora da graça.

Abriu-se o Céu que a culpa de Adão e Eva havia cerrado, e dele desceu um espírito de luz e pureza, trazendo consigo mensagem de reconciliação e paz, dirigida à criatura mais formosa, nobre, cândida e benigna que nascera da estirpe de Adão.

Estando o Arcanjo em presença da Santíssima Virgem, o diálogo se estabelece.

Anunciação, Museu do Prado, Madri. Fra Angélico. São GabrielA nobreza própria à natureza angélica, sua fortaleza leve e toda espiritual, sua inteligência e pureza, enfim tudo se espelha admiravelmente na figura altamente expressiva de São Gabriel.

Anunciação, Museu do Prado, Madri. Fra Angélico. Nossa SenhoraNossa Senhora, com razão, aparece na pintura menos etérea e impalpável, pois é uma criatura humana.

Entretanto, um quê de angélico nota-se em toda a compostura d´Aquela que é a Rainha dos anjos.

Sua fisionomia excede em espiritualidade, nobreza e candura à do próprio emissário celeste.

Invisível, Deus entretanto manifesta sua presença na luz sobrenatural que parece irradiar de ambos os personagens, comunicando a toda a natureza o esplendor de uma alegria pura, tranqüila, virginal.

Sente-se quase a temperatura suavíssima, a brisa levíssima e aromática, a alegria que perpassa todo o ambiente criado por Nossa Senhora e o Arcanjo.

(Fonte: Plinio Corrêa de Oliveira, novembro de 1986. Sem revisão do autor. Em “Catolicismo”.)

Desejaria receber atualizações instantâneas e gratuitas no meu email

quarta-feira, 18 de março de 2009

Festa de São José: príncipe da casa de David

São José, Mosteiro da Luz, São Paulo
O grande São José, nascido de família ilustre, arrasta no entanto uma existência obscura que, contrastando com o brilho da sua origem, o colocou na mais baixa camada da sociedade de seu tempo.

Escasseiam-lhe os dotes naturais com que os homens se fazem grandes.

Não dispõe de exércitos nem de súditos, que levem ao longe a glória de seu nome.

Não dispõe do dinheiro para galgar as altas posições.

Vive humilde e desconhecido, à sombra do Templo majestoso que erguera David, no próprio país em que reinara a sabedoria de Salomão.

No entanto, brilha nele a chama da caridade.

Um intenso amor de Deus, uma espiritualidade e uma vida interior admiráveis fazem de sua alma objeto da complacência da Santíssima Trindade.

São José, escola de Cusco, século XVIIIE este homem humilde é chamado a co-participar de modo direto em acontecimentos dos quais decorreriam os mais notáveis fatos da História — por exemplo, na Redenção do mundo.


Desejaria receber atualizações instantâneas e gratuitas no meu email

segunda-feira, 16 de março de 2009

Na crise, ingleses não querem saber do euro e preferem salvar identidade e independência

Libra esterlina
A crise econômica mundial é ocasião ideal para as esquerdas passarem reformas que em situações normais, a opinião pública não aceitaria.

Na Inglaterra, os europeístas sonham substituir a libra esterlina ‒ que passa obvias dificuldades ‒ pelo euro, aliás cada vez mais detestado no continente. Porém os ingleses nem querem saber.

Eles procuram a moeda nacional com a imagem da rainha para aplicar suas poupanças, embora esteja desvalorizada.

Big Ben.Duas sondagens patentearam a preferência por esse símbolo da independência britânica. Para o ICM Research for the British Broadcasting Corp., 71% dos ingleses votaria contra a substituição da libra pelo euro se houver referendo. Pesquisa da Taxpayers Alliance verificou que só 24% aprova a moeda pan-européia.

É opinião corrente no Reino Unido que a União Européia foi longe de mais com o euro. As desordens financeiras na eurozona – assim pensam os ingleses – reforçaram esses pontos de vista.

Eles preferem preferem salvar sua identidade e sua independência ainda que a custo de algumas vantagens econômicas -- nada certas, aliás.

Para os políticos britânicos, de quase toda tendência, o euro é um cálice envenenado.

O premiê socialista Gordon Brown e seu partido Trabalhista prometeram substituir a libra pelo euro um certo dia, mas hoje nenhum político ousa acenar com o primeiro passo.

Embora ébrios de europeísmo, percebem que nada obteriam e, além do mais, poderiam perder sua cadeira, cargo ou benesses públicas.

Ingleses preferem salvar identidade e independênciaO partido Conservador, que no momento lidera com folga as preferências eleitorais, fez saber que se opõe firmemente à moeda européia em qualquer época.

Quanto durará essa palavra de político? Em tudo caso, é uma amostra de que se mostrar contra o euro nas Ilhas Britânicas dá popularidade e voto.

O terceiro partido, o Liberal Democrata, achou mais prudente parar de insistir no euro como garantia de segurança para o futuro.

Antes da crise, o comissário supremo da UE, o português José Manuel Barroso, batia palmas pelo fato de a Grã-Bretanha estar “mais perto do que nunca” de adotar a moeda européia que alemães e franceses vituperam nos logradouros públicos.

O Independence Party, pequena força na vanguarda contra o euro desafiou Barroso: “então que ele convoque um referendum sobre o euro e o Tratado de Lisboa, assim o povo de Grã-Bretanha poderá dizer para onde ele tem que ir”.

Referendum! Entre os líderes da “democrática União Européia” a idéia cai como água benta no diabo. Basta ver o que aconteceu todas as vezes que, nos últimos anos, convocaram os povos para se manifestar. Na França, na Holanda e na Irlanda foi um rotundo NÃO aos diktats de Bruxelas.

Desejaria receber atualizações instantâneas e gratuitas no meu email

segunda-feira, 2 de março de 2009

Presidente da Colômbia consagra seu país a Nossa Senhora dos Remédios para afastar o terrorismo

Presidente Uribe en Rioacha
O presidente da Colômbia, Álvaro Uribe, foi até o santuário de Nossa Senhora dos Remédios, em Riohacha (norte), para pedir à Mãe de Deus que afaste de seu país a ameaça do terrorismo e dos seqüestros.

“Neste dia nós Vos consagramos totalmente nossa vida, trabalhos, penas e alegrias, triunfos e fracassos. Tudo quanto somos e temos; nosso ser. Queremos que Vós, como Mãe espiritual, nos ajudes sempre e nos protejas de todo perigo para a alma e para o corpo. Alcançai-nos de Vosso Divino Filho Jesus Cristo as graças e favores que Lhe imploramos por vossa intercessão”, rezou o presidente em viagem oficial, informou a Presidência da Colômbia.

Por que é que no Brasil isso não acontece?

As esquerdas ‒ inclusive a dita “católica” ‒ querem impor um laicismo agnóstico (ateu) para afastar o País de Nossa Senhora e de vocação providencial que Deus lhe deu.

O destemido exemplo do chefe de Estado colombiano é uma amostra de conduta do bom governante que deve amar verdadeiramente seu povo e por isso aproximá-lo de Nossa Senhora.

As graças do Céu então viriam mais copiosamente.

UM EXEMPLO BRASILEIRO

Plinio Correa de Oliveira discursando no Congresso Eucaristico 1942, AnhangabauVejamos nesse sentido, discurso do então Presidente da Junta Arquidiocesana da Ação Católica, Plinio Corrêa de Oliveira, no Congresso Eucarístico de 1942, no Anhangabaú, diante de 500.000 católicos reunidos:

“Dái a César o que é de César e a Deus o que é de Deus”. Explorai, Senhores do Poder Temporal, as riquezas de nossa terra; estruturai segundo as máximas da Igreja, que são a essência da civilização cristã, todas as nossas instituições civis.

“Auxiliai quanto em Vós estiver, a Santa Igreja de Deus e que plasme a alma nacional na vida da graça, para a glória do céu. Fazei do Brasil uma pátria próspera, organizada e pujante, enquanto a Igreja fará do povo brasileiro um dos maiores povos da História.

“Na harmonia desta mesma obra está a predestinação de uma íntima cooperação entre dois poderes. Deus jamais é tão bem servido, quanto se César se porta como seu filho. E, Senhores, em nome dos católicos do Brasil, eu vo-lo afianço, César jamais é tão grande, como quanto é filho de Deus.

“Nessa colaboração está o segredo de nosso progresso e nela vossa parte é verdadeiramente magnífica.

“Trabalhai, senhores, trabalhai neste sentido. Tereis a cooperação entusiástica de todos os nossos recursos, de todos os nossos corações, de todo o nosso fervor. E quando algum dia Deus Vos chamar à vida eterna, tereis a suprema ventura de contemplar um Brasil imensamente grande e profundamente cristão, sobre o qual o Cristo do Corcovado, com seus braços abertos, poderá dizer aquilo que é o supremo título de glória de um povo cristão. Executai o programa de Governo que consiste em procurar antes o reino de Deus e sua justiça, que todas as coisas lhes serão dadas por acréscimo.

“Em um Brasil imensamente rico, vereis florescer um povo imensamente rico, vereis florescer um povo imensamente grande, porque dele se poderá dizer:

Congresso Eucaristico, vale Anhangabau, vista parcial dos assistentes, 1942“Bem-aventurado este povo sóbrio e desapegado, no esplendor embora de sua riqueza, porque dele é o reino dos céus.

“Bem-aventurado este povo generoso e acolhedor, que ama a paz mais do que as riquezas, porque ele possui a terra.

“Bem-aventurado este povo de coração sensível ao amor e às dores do Homem-Deus, às dores e ao amor de seu próximo, porque nisto mesmo encontrará sua consolação.

“Bem-aventurado este povo varonil e forte, intrépido e corajoso, faminto e sedento das virtudes heróicas e totais, porque será saciado em seu apetite de santidade e grandeza sobrenatural.

“Bem-aventurado este povo misericordioso, porque ele alcançará misericórdia.

“Bem-aventurado este povo casto e limpo de coração, bem aventurada a inviolável pureza de suas famílias cristãs, porque verá a Deus.

“Bem-aventurado este povo pacífico, de idealismo limpo de jacobismos e racismos, porque será chamado filho de Deus.

“Bem-aventurado este povo que leva seu amor à Igreja a ponto de lutar e sofrer por ele, porque dele é o reino dos céus”.

(Fonte: "O Legionário", órgão oficioso da Arquidiocese de São Paulo, 7 de setembro de 1942).

Desejaria receber atualizações instantâneas e gratuitas no meu email