segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Oposição católica obriga museu a retirar obra blasfema

A National Portrait Gallery da grande Smithsonian Institution de Washington retirou um vídeo blasfemo que apresentava um Cristo por terra devorado por formigas gigantes, dentro de uma série de “obras de arte contemporâneas” sobre temas sexuais.

O grande museu desanimou da exibição por causa dos ativos protestos católicos, informou o “Washington Post”.

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Lordes hereditários atuam melhor que políticos eleitos

Apertura do ano parlamentar na Câmara dos Lordes
A nomeação de 50 novos membros da Câmara dos Lordes da Inglaterra suscitou cóleras igualitárias.

Os lordes equivalem aos senadores em outros países, atuando também em alguns casos como ministros do Supremo Tribunal de Justiça.

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Nossa Senhora do Milagre e a conversão do judeu Ratisbonne, 20 de janeiro

 Um dos fatos marcantes da história religiosa do século XIX foi a aparição de Nossa Senhora ao judeu Afonso Ratisbonne e sua retumbante conversão ao catolicismo.

A aparição está intimamente ligada à série de manifestações extraordinárias ao mundo, iniciada com a Medalha Milagrosa na rue du Bac (Paris, 1820), e continuada de um modo mais destacado em La Salette (1846) e Lourdes (1858).

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Polônia consagra maior imagem de Jesus Cristo do mundo

Swiebodzin, maior estátua de Cristo no mundo
Milhares de fiéis e religiosos poloneses assistiram em Swiebodzin, à consagração da maior estátua de Jesus Cristo do mundo.

O monumento supera os 52 metros de altura e foi doado pelos 21 mil habitantes da cidade. “O monumento é um sinal visível da fé em Cristo”, disse o bispo Stefan Regmunt, um dos consagrantes.

A estátua ‒ mais alta que o Cristo Redentor do Rio de Janeiro ‒ pode ser vista desde a rodovia Varsóvia - Berlim e a vários quilômetros de distância.

A ofensiva laicista contra a ostensão pública dos símbolos mais caros do cristianismo estrebuchou.

Eles não tinham, é claro, um PNDH-3 para pretextar contra o monumento religioso e para tentar interditá-lo pelo fato de estar em local público.

Grupelhos “católicos-progressistas” procuraram pretextos na “humildade evangélica” para sabotar a obra.

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Dado essencial: houve o fenômeno astronômico denominado “estrela de Belém”

No post anterior referimos a tese do astrônomo Mark Thompson, da Royal Astronomical Society de Londres e apresentador científico da BBC, noticiada por "The Telegraph".

Cabe ponderar que essa tese não é a única nos meios científicos. Há anos, Werner Keller, num livro muito divulgado mas que sofre por falta de atualização do ponto de vista científico (Werner Keller, “E a Bíblia tinha razão”, Melhoramentos, SP, 18ª ed., 1992) reproduz afirmações avalizadas de cientistas de fama universal.

Pouco antes do Natal, no dia 17 de dezembro de 1603, o famoso matemático imperial e astrônomo da corte, Johannes Kepler (ao lado), estava em Praga observando, com seu modesto telescópio, a “conjunção” de Saturno e Júpiter na constelação de Peixes.

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Astrônomo defende com computador a existência da estrela de Belém (1)

O astrônomo Mark Thompson, membro da Royal Astronomical Society de Londres e apresentador de astronomia no The One Show da BBC, realizou um estudo científico que explicaria a natureza da estrela que conduziu os Reis Magos até Belém, confirmando a narração do Evangelho de São Mateus.

Usando registros históricos e simulações de computador que permitem mapear a posição das estrelas e dos planetas em torno da data em que Jesus nasceu, Thompson defende que nessa época houve um evento astronômico incomum.

Segundo ele, entre setembro do ano 3 a.C. e maio do ano 2 d.C. houve três “conjunções” onde o planeta Júpiter e a estrela Regulus passaram perto um do outro no céu da noite estrelada.

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

Melk, o berço da Áustria


Carlos Eduardo Schaffer, Correspondente - Áustria

Parece uma fortaleza ou um palácio, que surpreende e encanta a quem o vê repentinamente no alto de um penhasco.

Fixando mais atentamente a vista, parece no entanto distinguir-se junto ao parapeito alguma pessoa com hábito religioso, que meditativamente contempla o Danúbio no vale vizinho, as colinas e os campos. Estamos diante da abadia beneditina de Melk, considerada o berço da Áustria.