segunda-feira, 25 de novembro de 2013

O retorno das pombas

As gárgulas da catedral de Dijon passavam muito frio no Natal
As gárgulas da catedral de Dijon passavam muito frio no Natal
Na Borgonha, as pedras nunca são brancas por vontade de Deus.

Ao contrário, com o passar dos anos e dos séculos elas ficam bem cinzentas e até pretas.

No alto da catedral, as gárgulas – aquelas esculturas de animais quiméricos colocadas para dar vazão às águas de chuva e qualquer outra sujeira tirada por esta do telhado –, sempre bem alinhadas, estavam mais do que feias.

Mais. Sentiam-se doentes e tristes no seu pétreo silêncio.

Por obra dos entalhadores, elas tinham formas de diabos, monstros e animais horríveis.

O vento, a chuva, as geadas, as fumaças, tudo contribuía para deixá-las mais estragadas, repulsivas e decadentes.

Acontecia também – e ninguém sabia explicar – que as pombas tinham diminuído em número, a ponto de quase desaparecerem.

Só restavam algumas, mas estavam velhas e doentes. Já não se via seu vulto branco no céu e nos galhos das árvores.

segunda-feira, 18 de novembro de 2013

Santuário de Nossa Senhora na Índia atrai multidões


Perto de 2 milhões de católicos peregrinaram ao porto de Tuticorin (2.700 kms ao sul de Nova Delhi), pela festa de Nossa Senhora das Neves.

A imagem foi levada em procissão num carro dourado de 21 metros de altura decorado com pedras semi-preciosas.

O peregrinos jogavam pétalas de rosa e flores de jasmim.

A procissão tomou 5 horas para percorrer 3 quilômetros.

Os romeiros viram de toda a Índia, Sri Lanka e países distantes como Inglaterra e Canadá.

quarta-feira, 13 de novembro de 2013

Imagens de Nossa Senhora de Lourdes, da Luz e do Sagrado Coração de Jesus admiravelmente salvas nas Filipinas

Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs




Com menos de um mês de intervalo, em 2013 duas enormes calamidades caíram sobre as Filipinas, país muito populoso de maioria católica.

O país é um grande arquipélago exposto a fenômenos sísmicos e furacões de rara intensidade.

No dia 16 de outubro um terremoto de magnitude 7.2 atingiu especialmente a ilha de Bohol danificando severamente grandes e sólidas igrejas coloniais, de até 400 anos de antiguidade.

A segunda grande calamidade foi provocada pelo tufão Haiyan (lá denominado Yolanda) em 8 de novembro que causou por volta de 2.500 mortes.

Nas duas imensas tragédias registrou-se o mesmo fenômeno: imagens de Nossa Senhora e do Sagrado Coração de Jesus ficaram admiravelmente indenes.

segunda-feira, 11 de novembro de 2013

Jornalista esta conseguindo fugir da dependência digital

Camp Grounded: regras muito simples para se desintoxicar
Camp Grounded: regras muito simples para se desintoxicar

Matt Haber, do “The New York Times”, sentiu uma vibração no bolso onde leva o iPhone. Porém, o celular não estava ai.

Estava fechado numa sacola grampeada, junto com o relógio, o cartão de crédito e seus documentos.

A vibração havia sido imaginada. Ali ele percebeu que estava viciado deveras e que tinha feito bem indo ao Camp Grounded, acampamento de férias só para adultos, perto de San Francisco, para se livrar da dependência digital.

Junto com ele, trezentas pessoas seguiam um curso de atividades ao pé da letra reais, de apalpar com as mãos, de cheirar com o nariz e saborear com a língua, incluindo hasteamento da bandeira e outras atividades que ele qualificou de “tranquilizadoramente regressivas”.

O curso é dado pelo grupo Digital Detox, de Oakland, Califórnia, e visa ensinar pessoas desnorteadas ou dependentes da tecnologia a se “reconectar” com a realidade.

Pode parecer estranho, quase como tentar trazer ao juízo alguém que construiu um universo mental onde ele é Napoleão Bonaparte. Entretanto é possível, e Matt tentou.

segunda-feira, 4 de novembro de 2013

Topázio brasileiro porta de sacrário em Nápoles

O topázio que esculpido virou a porta do sacrário, detalhe

A história do topázio do rei Fernando II, que esculpido virou a porta do sacrário da Igreja de São Francisco de Paula em Nápoles, começou numa jazida do Brasil no século XIX.

Na ocasião foi descoberta uma pedra preciosíssima: um topázio de cor laranja pálido, que pesava aproximadamente quatro quilos.

Ele foi enviado à Itália e adquirido pela Corte dos Bourbons de Nápoles.

O rei Fernando II (1810-1859) desejava fazer com ele a porta de dois sacrários:

1) o da Capela Palatina do Palácio Real de Caserta, e

2) o da Igreja de São Francisco de Paula, em Nápoles.

O topázio foi então dividido em duas partes iguais.

A metade destinada à igreja de São Francisco deveria, por vontade real, ser esculpida em baixo-relevo.

E o baixo-relevo representaria Nosso Senhor Jesus Cristo partindo o pão consagrado, a Eucaristia.