domingo, 13 de agosto de 2017

Como foi a Assunção de Nossa Senhora.
Uma piedosa reconstituição

Assunção de Nossa Senhora, Beato Angelico (1395 – 1455), Google Cultural Institute
Assunção de Nossa Senhora.
Beato Angelico (1395 – 1455), Google Cultural Institute
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs





A festa da Assunção de Nossa Senhora foi constituída em dogma pelo papa Pio XII em 1 de novembro de 1950. A festa é comemorada no dia 15 de agosto também sob os títulos de Nossa Senhora da Glória ou de Nossa Senhora da Guia.

Esse dogma era ardentemente desejado pelas almas católicas do mundo inteiro, porque coloca Nossa Senhora completamente fora de paralelo com qualquer outra mera criatura.

Justifica-se assim o culto de hiperdulia que a Igreja lhe tributa. [“hiperdulia”: culto especial reservado à Virgem Maria, superior à “dulia”que se dedica aos santos e aos anjos].

Nossa Senhora passou por uma morte suavíssima que é qualificada com uma propriedade de linguagem muito bonita, como a “dormição de Nossa Senhora”.

“Dormiçao” indica que Ela teve uma morte tão suave, tão próxima da ressurreição que, apesar de ser uma verdadeira morte, entretanto mais parecia a um simples sono.

Nossa Senhora depois foi chamada à vida por Deus, ressuscitou como Nosso Senhor Jesus Cristo.

Subiu depois aos céus, na presença de todos os apóstolos ali reunidos, e de uma quantidade muito grande de fiéis.

Essa Assunção representa uma verdadeira glorificação aos olhos de toda a humanidade até o fim do mundo. É o proêmio da glorificação que Ela deveria receber no Céu.

É interessante fazermos uma recomposição de lugar para imaginarmos como a Assunção se passou. A respeito do fato não existem descrições e podemos imaginá-lo como nossa piedade gostaria.

Em baixo, os Apóstolos todos ajoelhados, rezando num ambiente com algo de inefavelmente nobre, sublime, recolhido, interior.

Podemos imaginar todos os Apóstolos com expressões de personagens de Fra Angélico.

Dormição de Nossa Senhora, Fra Angélico (1395 – 1455)
Dormição de Nossa Senhora, Fra Angélico (1395 – 1455)
O céu enchendo-se gradualmente de anjos, à imagem dos anjos de Fra Angélico também, tomando os coloridos os mais diversos, com matizações e irradiações magnificas, um espetáculo absolutamente incomparável.

Se Nossa Senhora pôde dar ao céu um colorido tão diverso e produzir fenômenos tão excepcionais em Fátima, por que o mesmo não se teria dado por ocasião de Sua Assunção ao Céu?

Ela se coloca em pé enquanto o respeito e recolhimento de todos aqueles que estão lá vão crescendo.

A semelhança física dEla com Nosso Senhor Jesus Cristo, seu Filho, vai se acentuando cada vez mais.

A glória de Nosso Senhor transfigurado se vai comunicando a Ela.

Ela cada vez mais rainha, cada vez mais majestosa, cada vez mais mãe.

Todo seu íntimo se manifestando de modo supremo nessa hora de despedida.

Alguns anjos, talvez, os mais esplêndidos do Céu, se aproximam e fazem Nossa Senhora subir.

Com o auxílio deles, Ela vai subindo e, aos poucos, o céu vai se transformando.

Assunção de Nossa Senhora, Johannes, Wielki, Master of the Olkusz Poliptych, 1466-1497
Assunção de Nossa Senhora.
Johannes, Wielki, Master of the Olkusz Poliptych, (1466-1497)
Na terra, aquela maravilha vai mudando, e volta ao aspecto primitivo.

Os homens voltam para casa com a sensação que tiveram na Ascensão de Nosso Senhor.

Ao mesmo tempo estão maravilhados, com uma saudade sem nome, desolados por algum lado, mas levando na retina algo que nunca tinham visto, nem podiam ter imaginado a respeito de Nossa Senhora.

Imediatamente, o triunfo de Nossa Senhora começa no Céu.

A Igreja gloriosa inteira vai recebê-La. Nosso Senhor Jesus Cristo A acolhe, todos os coros de anjos estão ai, São José está perto. Depois é coroada pela Santíssima Trindade.

É impossível pensar nesse triunfo terreno, sem pensar no triunfo celeste que veio logo depois.

É a glorificação de Nossa Senhora aos olhos de toda a Igreja triunfante e aos olhos de toda a Igreja militante.

Com certeza, nesse dia também a Igreja padecente no Purgatório recebeu uma efusão de graças extraordinárias.

Não é temerário pensar que quase todas as almas que estavam purgando suas penas foram libertadas por Nossa Senhora nesse dia. De maneira que também ali houve uma alegria enorme.

Assim é que podemos imaginar como foi a gloriosa Assunção de nossa Rainha.

Algo disso se repetirá quando vier o Reino de Maria prometido em Fátima, quando virmos o mundo todo transformado e a glória de Nossa Senhora brilhar sobre a terra, porque Seu reinado começou de modo efetivo, e dias maravilhosos de graças, como nunca houve antes, começam a se anunciar também.

Antes de contemplarmos a glória de Nossa Senhora no Céu, nós havemos de contempla-la na terra certamente, com algo que poderá nos dar alguma semelhança desse triunfo sem nome que deve ter sido a Assunção de Maria.

Quando pensamos nos triunfos que os homens preparam para seus grandes batalhadores, por exemplo, as tropas francesas desfilando sob o Arco do Triunfo, depois da Guerra de 14-18, ou mais pocamente nos triunfos que os romanos preparavam para seus generais vencedores, devemos compreender que Nosso Senhor Jesus Cristo que é infinitamente mais generoso, deve ter premiado Nossa Senhora, no triunfo dEla aos olhos dos homens de um modo também incomensuravelmente maior.

Coroação de Nossa Senhora no Céu. Fra Angelico (1395 – 1455). Galeria degli Uffizi, Florença.
Coroação de Nossa Senhora no Céu.
Fra Angelico (1395 – 1455). Galeria degli Uffizi, Florença.
Portanto, tudo quanto existe de mais glorioso e triunfal na Criação, terá certamente brilhado na hora da Assunção de Nossa Senhora.

Meditando nisso, aproximamo-nos nessa festa pensando na virtude que devemos pedir a Nossa Senhora.

Cada um deve pedir a virtude que mais carece.

Mas, não haveria demasia em pedirmos a Ela uma virtude: que é o senso da glória dEla. Quer dizer, compreender bem tudo quanto representa Sua gloria na ordem da Criação.

Como essa glória é a mais alta expressão criada da glória de Deus.

Nós devemos ser sedentos de defender pela virtude de combatividade levada ao seu último extremo a glória de Nossa Senhora na terra.

Fazer de nós verdadeiros cavaleiros cruzados de Nossa Senhora, lutando por Sua glória na terra.

Essa me parece a virtude mais adequada nessa festa de glória, que é a Assunção de Nossa Senhora.


(Autor: Plinio Corrêa de Oliveira, excertos de palestra pronunciada em 14.8.65, sem revisão do autor).



Vídeo: São João del Rei: solenidades da Dormição e Assunção de Nossa Senhora 2016





segunda-feira, 7 de agosto de 2017

Mais de dois milhões de russos veneram as relíquias de São Nicolau

Surto de fervor por São Nicolau de Bari revela potencial de conversão do povo russo.
Surto de fervor por São Nicolau de Bari revela potencial de conversão do povo russo.
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs





Desde que as relíquias de São Nicolau de Bari foram expostas ao culto público, em virtude de um empréstimo temporário da Igreja Católica, mais de 1.807.600 de moscovitas foram venerá-las.

As filas em Moscou podiam demorar 10 horas para o fiel passar rapidamente, tocando ou beijando a sagrada urna, noticiou o jornal “The Washington Post”. 

Em São Petersburgo, segunda maior cidade russa, a contagem superava 340,000 enquanto prosseguiam as visitas com romeiros chegando de remotas cidades da imensa Rússia.

Essas manifestações maciças de devoção voltaram a patentear as tendências profundas – inimagináveis sem uma ação da graça – que trabalham o povo russo e o predispõem para o dia de sua conversão.

Vladimir Putin parece ter percebido esse horizonte – aliás, já previsto em Fátima – e fez uma adaptação do princípio atribuído a Lenine: como o comunismo gera necessariamente uma reação oposta, façamo-la nós antes que outros a façam.

“Antes que a Rússia se converta, dirijamos nós um pseudo retorno à religião”, parece dizer o Vladimir II (não Lenine, mas Putin). Para isso ele apela ao seu acólito: o Patriarcado de Moscou.

Foi este último que recebeu da Santa Sé as relíquias e as faz girar pela Rússia como se fosse propriedade dele, afastando o protagonismo católico.

O fenômeno deixa perceber a magnitude do efeito que a pregação livre do catolicismo terá no povo russo.

Após gerações de furioso ateísmo comunista que matou milhões de russos para exterminar a religião e os fundamentos da civilização como a tradição, a família e a propriedade, multidões de russos desafiaram o frio para venerar seu santo mais amado.

Em Moscou, as relíquias ficaram expostas na catedral de Cristo o Salvador, que havia sido demolida pelos sovietes em 1931, mas hoje está restaurada.

São Nicolau é o santo do Natal, parodiado comercialmente por ‘Santa Claus’ ou ‘Papai Noel’.

Filas em Moscou podiam durar até 10 horas para venerar o santo
Filas em Moscou podiam durar até 10 horas para venerar o santo
“Todos os santos são especiais, mas ele é o que mais amamos”, dizia Denis Knyazyev, 32, que viajou quatro horas para venerá-lo em Moscou.

Os sacerdotes cismáticos e os guardas tratavam bruscamente os devotos, mas estes não desanimavam.

Danila, moscovita de 14 anos, contava que teve uma sensação sobrenatural: “Foi como se Deus tivesse me ouvido”. Muitos pediam por suas mais prementes necessidades pessoais.

Os russos que se afirmam religiosos duplicaram desde a queda da URSS. E agora, com a frustração das ilusões geradas por Putin, aumentou a procura pela ordem espiritual.

Cerca de dois milhões de pessoas escreveram a Putin pedindo melhorias nos ordenados, nas estruturas públicas e no sistema de saúde, o que o dono do Kremlin nem tem condições de atender.

Frustrado com a ausência do milagre que Putin não podia fazer, o povo foi também pedir isso a São Nicolau.

Em 2011, mais de três milhões de russos foram visitar um sino que teria pertencido à Virgem Maria.

Mas, desta vez, São Nicolau chegou de modo muito especial com suas autênticas relíquias.

“Durante 930 anos ninguém as viu. Mas agora é como se São Nicolau em pessoa tivesse descido em Moscou”, reconheceu Maria Korovina, encarregada de mídia pelo Patriarcado de Moscou.


Vídeo: Mais de dois milhões de russos veneram as relíquias de São Nicolau






segunda-feira, 31 de julho de 2017

Pesquisa revela que os monges vivem mais do que os leigos

Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs





Para surpresa do pesquisador alemão Mark Louis, professor da área de análises demográficas, os monges que levam uma vida de isolamento e castidade nos mosteiros são mais longevos do que os leigos com suas comodidades e lazeres.

O trabalho do pesquisador foi divulgado em vídeo pela Deustche Welle, grupo de mídia oficial do governo alemão. 

Mais precisamente, os monges vivem em média cinco anos a mais que o comum da população masculina.

Leia a continuação o texto do vídeo da Deutsche Welle , com a concisão própria à imagem. O vídeo é reproduzido abaixo


Os fatores decisivos não são genéticos, mas não biológicos, revelou o estudo.

Um lugar de fé talvez não pareça o ambiente certo para resolver enigmas científicos.

A rotina aqui quase não muda. Segue regras antigas de séculos atrás.

O que se tem então para descobrir?

Faz mais de cem anos que um pesquisador veio aos mosteiros alemães estudar o quotidiano dos monges e monjas.

Agora a vida religiosa voltou a despertar interesse. Querem saber por que as pessoas vivem mais isoladas do mundo exterior e por que seguem as mesmas regras.

Um local assim é o que busca Mark Louis, professor da área de análises demográficas.

Ele quer saber por que os homens morrem mais cedo que mulheres.

Nos mosteiros, o dia-a-dia de ambos os sexos é igual.

Será que os monges morrem antes?

Se fosse realmente assim, seria a prova de que homens estão condenados por causa dos genes que carregam.

A procura de Mark por pistas começa no cemitério daqui. Surpreendentemente, os monges vivem muito: 81 anos, 82, 86 anos.

Mark sabe que isso não é o suficiente. As informações coletadas no cemitério são apenas um primeiro passo.

O que ele precisa mesmo é de dados de pelo menos 10.000 religiosos mortos e vivos.

Mas estarão os mosteiros na Alemanha preparados para fornecer esse tipo de informação?

No caso de Mark, ele teve acesso livre aos arquivos. O começo de uma jornada a um universo completamente desconhecido.

Os mosteiros fazem um arquivo sobre a vida dos membros da Ordem. São esses manuscritos que Mark pretende achar.

Ao lado da Bíblia, esse é um dos documentos mais importantes de um mosteiro. Ele contém todos os dados pessoais sobre quem participava da Ordem, do ingresso até a morte.

Aqui Mark encontra as informações que necessita. Elas muitas vezes remontam ao século XIX. Revelam desobediências às instruções do abade, suicídios e outros pecados.

O pesquisador percebe que está diante de informações delicadas. Mesmo assim, Mark continua a busca. Depois de dias e noites nas bibliotecas, ele chega a 11.500 casos compilados. Agora, sim, dá para calcular.

Até que idade chegam os homens e mulheres no mosteiro?

Os números comparativos da população:

— homens leigos morrem seis anos mais cedo

— na linha de vida das monjas não há diferença com relação a outras mulheres.

Então, a surpresa: no mosteiro os homens vivem cinco anos a mais.

A conclusão imediata de Mark é que esse resultado pode causar um alvoroço no mundo científico.

Principalmente se a medicina moderna considerasse ao menos em parte a descoberta.

Mas a pergunta é: por quê?

O que proporciona saúde e vida longa no mosteiro?

A questão originalmente era: são fatores biológicos ou não?

“Com esse estudo pude mostrar com clareza que predomina os não biológicos, porque as pessoas no mosteiro não são diferentes das outras em geral”.

Mark tem certeza de que o relógio biológico dos homens não anda mais rápido. É possível prolongar na média em cinco anos a vida somente mudando hábitos.

Que fatores são determinantes? Por enquanto, apenas dá para especular.

Talvez o ritmo diário constante entre oração e trabalho seja relaxante.

Até atingir a velhice, a comunidade religiosa continua unida. Ninguém fica sozinho e o trabalho é garantido para todos.

Seria esse um freio para o envelhecimento?

Há também problemas. O recrutamento de jovens, o alcoolismo provocado pelo isolamento e, para muitos, o voto de castidade é um preço alto demais a se pagar.

Mas, no geral, nada disso parece afetar as pessoas aqui, a ponto de fazer com que fiquem doentes. Muito pelo contrário.


Vídeo: Por que os monges vivem mais do que os leigos




segunda-feira, 17 de julho de 2017

O Anjo apontando para o lugar onde Jesus nasceu
reaparece em Belém

Anjo redescoberto na basílica Natividade, Belém, olha fixo para o local onde Jesus nasceu
Anjo redescoberto na basílica Natividade, Belém,
olha fixo para o local onde Jesus nasceu
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs





Veio à luz graças a uma equipe de restauradores italianos precioso mosaico de um anjo encoberto por uma massa de pintura na Basílica da Natividade, em Belém, informou a BBC Brasil.

O feliz achado, depois da primorosa restauração, exibe em toda sua beleza um anjo que olha fixo para o local onde Jesus nasceu.

Coberta por reboco há quase mil anos, a obra encontrava-se fora do alcance do olhar humano. A Basílica da Natividade, em Belém, precisava de uma importante restauração que envolvia a própria estrutura do milenar templo.

Contudo, um imprudente “ecumenismo” fazia depender as obras de restauro da aprovação de um conjunto de denominações cristãs.

As denominações ditas “ortodoxas” vivem apegadas a um passado mofado e amarfanhado, antipatizando-se com as restaurações.

Ademais, não possuem a escola teológica nem o amor pelo passado que é sinal distintivo dos católicos, que possuem outra visão da tradição, da importância das obras de arte do passado e de sua contribuição para o presente e o futuro.

Malgrado os defeitos que possam ocorrer, o dinamismo católico é impulsionado por um amor sincero ao belo, à tradição, à história e de tudo o que se refere a Nosso Senhor Jesus Cristo, em tudo procurando o brilho que merece a sua única Igreja e que resplandece ao longo das vicissitudes tempestuosas dos milênios.

O resultado da incompatibilidade entre essas duas mentalidades é que havia toda espécie de desentendimentos, concorrendo para que as reformas na Basílica não se dessem apesar de cada vez mais urgentes, por se tratar de uma das mais antigas em uso no mundo.

A Basílica da Natividade é uma das igrejas mais antigas do mundo
A Basílica da Natividade é uma das igrejas mais antigas do mundo
Em 2009, o presidente palestino temendo que a igreja desmoronasse e motivado por razões políticas ordenou reformar o prédio, passando por cima das brigas “ecumênicas” desprovidas de sentido.

Participou da equipe de restauradores o engenheiro cristão-palestino Issa Hazboun.

Com efeito, ter trabalhado no local foi uma fonte de “orgulho” não só para ele mas para todos os cristãos do Oriente Médio, hoje tão perseguidos pelo furor islâmico anticristão na Síria, Iraque e outros países. Milhões deles tiveram de abandonar suas casas sob a injustificada invasão islâmica.

Tampouco o governo de Israel os trata com benevolência, mas a população cristã vem crescendo neste país desde 1940, enquanto decai em todos os outros países do Oriente Médio.

Os reparos ainda não foram concluídos e há muito a fazer, de modo especial com 50 colunas do século VI nas quais estão representados cruzados renomados que partiram da Europa a fim de resgatar a Terra Senta, tendo contribuído para a manutenção da Basílica ao ‘adotar uma coluna’.

Ziad Bandak, chefe do comitê da autoridade palestina que supervisiona o andamento dos trabalhos, mencionou problemas com “córregos subterrâneos, terremotos e outros incidentes históricos acontecidos em Belém e que causaram impactos negativos na estrutura da igreja, sobretudo no seu teto”, citou o jornal londrinense “The Guardian”.

Ele não quis mencionar o tema polêmico, mas os “incidentes históricos” a que se referiu foram as invasões e depredações dos islâmicos acontecidas em séculos passados.

A principal porta de ingresso da Basílica que inclui a Gruta de Belém é minúscula. É chamada 'Porta da Humildade'
A porta principal da Basílica que inclui a Gruta de Belém é minúscula.
É chamada 'Porta da Humildade'
E sempre há o perigo de um atentado dos fanáticos seguidores da falsamente denominada “religião de paz”, o Islã.

A equipe principal da restauração é italiana. O jornal israelense “Times of Israel” escreveu que desde 2013, os restauradores italianos, de acordo com a autoridade palestina, vinham fazendo um esforço titânico para restaurar a Basílica visitada por milhões de romeiros que vão beijar e venerar o local onde segundo os Evangelhos nasceu Jesus.

O teto e as janelas foram recuperados, mas o caso mais complicado são os mosaicos, dificilmente perceptíveis após séculos de usura e reformas mal feitas, sendo necessário restaurar pedrinha por pedrinha de cada um deles.

Já na fase final desse paciente trabalho apareceram sinais da existência de um mosaico coberto de reboco que havia passado despercebido.

Câmaras semelhantes às usadas pelos soldados para “ver” na noite, serviram para escanear as paredes e descobrir o que havia por trás, segundo descreveu Giammarco Piacenti, diretor geral da empresa de restauração responsável principal pelos trabalhos.

“Esta parte se via completamente diferente, aqui onde agora vemos o anjo. Nós dizemos: ‘o que é isto? Não pode ser um anjo!’, explicou à agência France Press.

Na basílica já haviam sido recuperados seis mosaicos de anjos e não se suspeitava que houvesse mais um. Mas, agora podem se ver os sete.

Apresentação dos mosaicos recuperados na basílica
Apresentação dos mosaicos recuperados na basílica
Com sua mão estendida o anjo aponta em direção à local exato onde estava a gruta onde Jesus nasceu há dois mil anos.

Um sorriso especial para a restauradora que descobriu o anjo, que é a sobrinha de Gianmarco Piacenti, pois logo depois de descobrir o anjo, ela soube que esperava uma criança e toda a família começou a dizer que o anjo a tinha abençoado.

A igreja foi construída pela primeira vez no ano 339, mas após um incêndio foi feita uma nova no século VI. Outra grande reforma aconteceu em 1478, explicou Piacenti.

“De um ponto de vista histórico, artístico e espiritual, [a Basílica de Belém] é o centro do mundo – Ela é tudo”, comentou Piacenti.

Marcello Piacenti é o patriarca da empresa familiar de restauradores que durante seis gerações vem recuperando antigos santuários da Europa.

Ele se sentiu muito honrado vencendo a licitação internacional e recebendo a incumbência de reparar as vigas de madeira da basílica doadas pelo rei Eduardo IV da Inglaterra em 1479. Após 800 anos, a reforma se impunha.

Piacenti conta com ufania que “seus” especialistas recuperaram o anjo de mosaico de ouro na nave do século VI construída pelo imperador Justiniano.

Também analisaram o estado dos muros e concluíram que “esta antiga estrutura se manteve em pé durante séculos, e esperamos que com nossa contribuição continue sempre presente aqui”.

As infiltrações de umidade tinham danificado os afrescos de colunas e muros que datam dos tempos dos Cruzados e outros mais antigos ainda.

O local onde Jesus nasceu é marcado por uma estrela de prata, sobre o mármore
O local onde Jesus nasceu é marcado por uma estrela de prata,
sobre o mármore do chão
O empreendimento recebeu escassas verbas e sente necessidade delas para prosseguir.

Mas, disse Piacenti: “Há muitos anjos acima de nós. E eu tenho a esperança de que podemos salvá-los”.

Por certo, eles, os próprios, lá no Céu, vão dar a sua contribuição para honrar a Rainha dos Anjos que ali deu a luz virginalmente ao Redentor e Senhor Rei de todo o criado.

O antigo mosaico de beleza admirável relembra o revoar dos anjos protetores e adoradores em volta da Gruta de Belém na luminosa noite do Natal.

O sétimo anjo está olhando fixamente para o local que sempre foi venerado como o ponto exato em que Jesus veio maravilhosamente à vida, conservando imaculada a integridade virginal de Sua Santíssima Mãe.

Quer dizer, a gruta de Belém, hoje acobertada na grandiosa Basílica da Natividade.

O mosaico do anjo, por assim dizer, dissipa toda dúvida e exorciza qualquer confusão ou sofisma que se queira fazer a respeito do magno evento de Natal que o mundo inteiro comemorará até o fim dos séculos.


Vídeo: O Anjo apontando para o lugar onde Jesus nasceu reaparece em Belém










segunda-feira, 3 de julho de 2017

Imagem de Nossa Senhora Aparecida
sai intacta das cinzas em Biguaçu

Nossa Senhora Aparecida intacta entre as chamas, Biguaçu, grande Florianópolis
Nossa Senhora Aparecida intacta entre as chamas,
Biguaçu, grande Florianópolis
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs





Faz alguns anos, em 2013, mas a lição fica para sempre. E para o Brasil todo!

Uma das mais antigas e belas igrejas catarinenses, em Biguaçu, na grande Florianópolis, foi destruída por voraz incêndio após ser atingida por um raio.

Segundo o jornal “Diário Catarinense”, foi consumida pelas chamas quase toda a estrutura da centenária capela São Sebastião da Limeira. Apenas a torre e o sino foram salvos.

O incêndio começou com o estrondo de um raio atingindo a capela.

Dezenas de moradores correram para fora de casa e, abalados, viram o maior patrimônio da localidade se consumir na frente de seus olhos.

O teto não resistiu e desmoronou logo em seguida sobre a sacristia.

Lá dentro, o fogo se assanhou contra tudo, como a imagem de São Sebastião, trazida de Portugal há mais de cem anos.

Em meia hora, o fogo se espraiou por toda a capela.

O Corpo de Bombeiros penou para chegar ao local, que fica no topo de um morro íngreme, no final de uma estrada de terra enlameada em decorrência da chuva que continuava a cair.

Fiéis contemplam a destruição. Capela ficava no ponto mais alto de Três Riachos e queimou em 30 minutos. Foto Junior Careca - Especial.
Fiéis contemplam a destruição.
Capela ficava no ponto mais alto de Três Riachos e queimou em 30 minutos.
Foto Junior Careca - Especial.
O calor do fogo, misturado ao ar frio da noite, ajudou o fogo a se alastrar — explicou o tenente Felipe Gelain, que comandou a equipe dos bombeiros.

Mas, passado o pior, ninguém soube explicar.

Das poucas coisas que resistiram às chamas, impressionou a imagem de Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil, registrou o mesmo jornal.

Ao lado de um bebedouro completamente derretido, a santa permaneceu em pé, sem abalo algum.

Na escultura, apenas eram perceptíveis as marcas do terço derretido que alguma alma piedosa algum dia acrescentou.

“O que é sagrado permaneceu. Fiquei arrepiada” – dizia a aposentada Ini Costa.


Vídeo: Imagem de Nossa Senhora Aparecida sai intacta das cinzas



segunda-feira, 26 de junho de 2017

“Comunistas têm medo da Virgem de Fátima”,
diz Cardeal chinês

Imagem de Nossa Senhora de Fátima peregrina em Hong-Kong. Na cidade ainda há fímbrias de liberdade. No imenso território governado pelo comunismo teria sido proibida.
Imagem de Nossa Senhora de Fátima peregrina em Hong-Kong.
Na cidade ainda há fímbrias de liberdade.
No imenso território governado pelo comunismo teria sido proibida.
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs





O cardeal Joseph Zen Ze-kiun, bispo emérito de Hong-Kong, fez declarações no passado 13 de maio, durante visita à Alemanha.

Ele falou sobre a Igreja católica chinesa e sobre o medo que os comunistas têm de Nossa Senhora de Fátima, noticiou InfoCatólica.

A respeito da China, o Cardeal focou a corrupção desenfreada instalada no âmago do comunismo chinês.

A degradação moral do Partido, especialmente nas mais altas cúpulas, associada à obediência absoluta aos ditadores, é desoladora.

O atual presidente Xi Jinping chegou a falar contra a corrupção na máquina estatal, mas logo que se apossou dela tudo ficou como antes ou pior.

Mas as pessoas que falam de Direitos Humanos continuam sofrendo repressão, perseguição, humilhações, e acabam condenadas em processos ecoados pela mídia estatal para desanimar as demais.

A direção comunista está em diálogo com a Santa Sé, mas não aceitará nada que não seja a submissão da Igreja ao Partido Comunista, disse.

O cardeal Joseph Zen Ze-kiun, bispo emérito de Hong-Kong
O cardeal Joseph Zen Ze-kiun, bispo emérito de Hong-Kong
Ele deu como exemplo o fato de os bispos da “Igreja clandestina” [fiéis a Roma] terem sido constrangidos a receber cursos de formação política durante a Semana Santa, para assim não poderem celebrar os Ofícios para os fiéis.

Embora o horizonte pareça negro para os homens de pouca fé, para o Cardeal o importante é sermos homens de fé, que recusam toda espécie de composição com o socialismo.

Na China, muitos dos cristãos mais corajosos estão no cárcere.

Mas em determinado dia o comunismo vai cair e esses católicos vão construir uma nova China, disse.

Isso só será possível se eles não perderem sua credibilidade em arranjos com a direção comunista.

Nossa Senhora apareceu em Fátima há exatamente 100 anos e os católicos chineses conhecem bem a sua Mensagem.

Ate os comunistas! Exclamou o Cardeal Zen.

Na vida real, os comunistas estão muito preocupados e têm medo de Nossa Senhora de Fátima.

Esse medo adota até formas grotescas. Se, por exemplo, alguém quer introduzir uma imagem de Maria Imaculada ou de Maria Auxiliadora, os comunistas não objetam nada.

Porém, as imagens de Nossa Senhora de Fátima estão proibidas. Porque para os socialistas tudo o que aconteceu em Fátima é “anticomunista”. E, de fato, assim é!

Católicos chineses veneram imagem peregrina de Nossa Senhora de Fátima em Hong-Kong
Católicos chineses
veneram imagem peregrina de Nossa Senhora de Fátima em Hong-Kong
O culto a Maria Auxiliadora tem raízes muito antigas em toda a China como fonte de ajuda para as pessoas e, sobretudo, para a Igreja em geral.

Na China atual, o principal perigo é o ateísmo materialista encarnado no socialismo de Estado.

Assim sendo, compreendemos perfeitamente que os comunistas estremeçam de pavor quando ouvem falar de Nossa Senhora de Fátima.

E mais ainda quando os fiéis querem introduzir no culto público alguma das imagens d’Ela, que por certo circulam clandestinamente, estimulando a resistência dos verdadeiros católicos.



quarta-feira, 14 de junho de 2017

Corpus Christi:
Fé combativa no Santíssimo Sacramento

Procissão de Corpus Christi em La Orotava, ilhas Canárias, Espanha.
Procissão de Corpus Christi, La Orotava, Canárias, Espanha.
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs





O Corpus Christi é a festa católica que glorifica especialmente a presença de Jesus Cristo no Santíssimo Sacramento. A festa da instituição do Santíssimo Sacramento é na Quinta-feira Santa, na Última Ceia.

Mas a Igreja percebeu a necessidade da comemorar separadamente o Corpus Christi.

E essa festa vem sendo acompanhada de graças tão insignes, e assim o será até o fim dos tempos em que num dia glorioso mais desditado será comemorada pela última vez antes do fim do mundo.

Protestantes e hereges negam a presença real de Nosso Senhor Jesus Cristo no Santíssimo Sacramento. Esse é um dos piores escândalos da história.

Os medievais tinham uma profunda fé na presença real, que dizer que Nosso Senhor Jesus Cristo está presente verdadeira e substancialmente em Corpo, Sangue, Alma e Divindade nas espécies consagradas pelo sacerdote na Missa.

Portanto, é uma devoção enorme à Santa Missa e à adoração do Santíssimo Sacramento.

Lutero e os protestantes, hoje também os progressistas, negam boçalmente a presença real.

Essa negação foi um dos pontos de fratura dos protestantes que os católicos receberam como um dos piores ultrajes jamais feitos contra Nosso Senhor.

Qual foi a tática pastoral usada pela Igreja em face dessa negação?

A Igreja teria podido dizer:

Ostensório: objeto litúrgico
para expor dignamente o Corpo de Cristo
“bem, nossos irmãos separados protestantes estão negando a presença real. Se nós vamos afirmar protuberantemente a presença real, nós aumentamos a separação. Como eles não querem saber de nenhum modo desse dogma, vale a pena então nós repensarmos o dogma da presença real.

“E tomando em consideração que os tempos mudaram, era muito natural que nós agora exprimíssemos a presença real num vocabulário diferente que agradasse aos protestantes.

“Não seria uma negação da presença real. Isto jamais! É um dogma definido por Nosso Senhor Jesus Cristo e, por causa disto, não vamos nos dizer contrários a esse dogma.

“Mas em vez de afirma-lo tão afirmativamente poderíamos dizer que Deus está presente por toda parte. Os bons amigos protestantes podem achar que Deus está presente ali, como também numa flor ou num pão qualquer.

“Nós entendemos que não é. Que Ele está realmente presente em Corpo, Sangue, Alma e Divindade, mas não vamos dizer isto para não criar uma cisão.

“Vamos usar um termo confuso, equívoco e assim eles ficam conosco.

“Depois, vamos começar o diálogo. No diálogo, diremos para eles: fulano, que tal seria se nós reestudássemos os fundamentos do dogma da presença real?

“Que tal verificamos juntos até que ponto esse dogma tem ou não seu fundamento da Sagrada Escritura?”

O protestante diria: “a sua dúvida é irmã da minha. E eu tenho vontade de re-pesquisar o assunto, como você tem também”.

Então, começa uma conversa a respeito do Santíssimo Sacramento em que o católico insincero diz: “olha, poderíamos chegar a um acordo, a uma terceira posição.

“Que não é inteiramente uma coisa nem inteiramente outra. Você cede um pouco, eu cedo um pouco. E afirmaremos juntos que Jesus Cristo está presente de fato na Eucaristia.

“Agora, se Ele está presente apenas enquanto Deus, ou enquanto Homem-Deus é um pormenor a respeito do qual cada um de nós reclama sua liberdade de posição. Então, nós teremos chegado finalmente a uma síntese”.

Desta forma poderia se ter evitado a ruptura entre protestantes e católicos.

Satanás, se tivesse que fazer uso da palavra, com mais inteligência e com mais charme, teria dito mais ou menos a mesma coisa.

Mas os santos, os teólogos e os papas seguiram uma política inteiramente diversa.

Procissão de Corpus Christi em Toledo, Espanha.

Eles pensaram que a Igreja Católica foi instituída por Jesus Cristo para ensinar a verdade.

E Ela não tem o direito de dar um ensinamento confuso porque o ensinamento confuso não é um ensinamento digno desse nome.

Ainda que seja involuntariamente, que seja por incompetência, ele não é digno. Porque a clareza é a primeira das qualidades do mestre.

O ensino exige, como pressuposto, a clareza.

Depois, exige a categoria do conteúdo. Um homem pode ser sábio e não ser claro.

Mas um professor confuso não pode ser professor. É mais ou menos como um homem que fabrica óculos com um cristal excelente e uma montagem muito boa.

Só que usa cristais um pouco embaçados: é uma porcaria! Pode ser o que for, é uma porcaria! Porque se não dá para ver com clareza, é uma porcaria!

Se o mestre intencionalmente não ensina com clareza, ele é pior do que um incompetente: ele é um desonesto.

Procissão de Corpus Christi na Itália.
Procissão de Corpus Christi na Itália.
Porque é uma desonestidade, é uma fraude, apresentar-se alguém com a segunda intenção de não lhe dar a verdade inteira.

Se aqueles grandes teólogos e Doutores, e a Igreja pela voz de seus Papas fizessem o silêncio a esse respeito, os fiéis receberiam um ensinamento confuso sobre uma verdade indispensável à salvação.

Então, eles estariam fraudando os fiéis e faltando com a sua missão.

Em segundo lugar, se a Igreja, fosse silenciar a respeito da Eucaristia, faria que os fiéis comungassem mal. Porque não tendo o ensinamento claro, não podiam receber bem o que eles estavam recebendo.

Quer dizer, na primeira hipótese a Igreja sacrificaria a vida espiritual de seus fiéis para manter uma unidade pútrida.

A força de toda instituição consiste em levar seus próprios princípios às últimas consequências. A partir do momento em que ela acha que tem que adoçar os seus princípios para sobreviver, ela reconhece que já morreu.

A partir do momento em que um Ministro da Guerra dissesse: “o Brasil é um país ao qual repugna tanto o estado militar que, ou o militar toma ares de civil, ou não haverá mais militares”.

Não adianta mais o militar tomar ares de civil. Porque, se repugna tanto a coerência do estado militar é preciso reconhecer de frente que o estado militar morreu. Não vale a pena entrar com voltas.

Vocações clericais: um padre deve ser, pensar, se vestir e viver como padre. Se alguém vem e diz: “bem, então, não haverá mais padres no Brasil”. A resposta só pode ser: “não adianta pôr padre de macacão para ver se alguém quer ficar padre”.

Se o país não quer ter mais padres, é porque ficou pagão. Vamos tomar a questão de frente.

Sobre a instituição da família: alguém poderá dizer: “bem, se não se fizer o divórcio, no Brasil muita gente começa a não se casar mais e a viver no amor-livre”.

A resposta é: então diga que morreu a instituição da família no Brasil. Não vale a pena fazer uma famélica, moribundinha, caricatura abastardada daquilo que deve ser, mas diga logo de uma vez: morreu a família.


Na festa de Corpus Christi: o hino Pange Lingua

Então, vamos logo dizer: morreu o Brasil. Porque um país onde não há compreensão para o estado militar, para o estado eclesiástico e nem apreço pela família, isso é um país morto.

Eu estou falando do Brasil, porque eu estou no Brasil. Eu poderia, a igual título, falar de qualquer outro país onde me encontrasse. É um exemplo hipotético que eu estou tomando.

Foi a política da honestidade, da lealdade, da integridade, da coerência.

Então, os padres do Concílio de Trento entenderam que era preciso fazer o contrário da posição dialogante.

Em oposição ao protestantismo, acentuaram o culto do Santíssimo Sacramento, instituíram uma festa para a adoração do Santíssimo Sacramento e uma procissão em que o Santíssimo Sacramento sai à rua, adorado por todos, para as multidões todas ver.

O adoram de joelhos postos em terra, reconhecendo que debaixo das aparências eucarísticas, ali está Nosso Senhor Jesus Cristo.

Foi a política de enfrentar, de não conceder, de lutar, de afirmar, de proclamar.

Daí veio para a Igreja uma torrente de graças. Exatamente a Contra-Reforma, que representou uma das maiores chuvas de graça que a Igreja tem recebido.

Enquanto o protestantismo dura e a Igreja é católica em todo o seu conteúdo, essas respostas se acentuam.

No século XIX ainda, a proclamação da infalibilidade papal, do dogma da Imaculada Conceição. No século XX, o dogma da Assunção, etc.

Até que outros ventos sopraram. Vamos dizer a verdade de frente: há incontáveis católicos que já não têm mais a coerência de sua Fé, a pugnacidade, a integridade que caracteriza a instituição quando está viva.


Hino Ave Verum


A Igreja é imortal porque é divina. Mas a correspondência de seus filhos a Ela pode diminuir e a densidade de fé decair no espírito de muitos deles.

Na festa de Corpus Christi no dia de hoje vemos como a coragem de proclamar os dogmas diminuiu. E como, portanto, há uma diminuição da Fé, em incontáveis desses que se dizem católicos.

Em 1970, no Congresso Eucarístico de Brasília, segundo os jornais, compareceram menos de 50.000 pessoas.

No ano de 1943, em São Paulo foi realizado um Congresso Eucarístico que encheu o vale de Anhangabaú inteiro, desde a Praça das Bandeiras até a praça do Correio oito vezes mais, muito aproximadamente!

A comparação é verdadeira e oportuna para mostrar como é verdadeira a afirmação da Escritura de que viria um dia em que as verdades estariam diminuídas entre os filhos dos homens.

Não propriamente negadas, mas murchas, reduzidas, apoucadas, amesquinhadas entre os filhos dos homens.

Por isso devemos nos voltar, pela intercessão imerecida mas incessante de Nossa Senhora para conosco, para aumentar a vitalidade, a correspondência à Fé, a energia e a plenitude no crer, na intransigência e na combatividade da Fé na presencia real de Jesus Cristo no Santíssimo Sacramento.


Procissão de Corpus Christi, Friburgo, Suíça, 20.06.1956


A festa de Corpus Christi é a festa do Santíssimo Sacramento. Hoje só pode ser uma grande lição de combatividade.

Aprendamos essa lição, e procuremos ser cada vez mais combativos por amor a Nossa Senhora e por adoração ao Santíssimo Sacramento.

(Autor: Plinio Corrêa de Oliveira, excertos de palestra proferida na quinta-feira 28.5.1970. Sem revisão do autor)


segunda-feira, 29 de maio de 2017

Em Núrsia: bombeiros tiram das ruínas
imagem íntegra de São Bento

Imagem de São Bento resgatada intacta de cripta esmagada pelos escombros da basílica que ruiu em terremoto
Imagem de São Bento resgatada intacta de cripta
esmagada pelos escombros da basílica que ruiu em terremoto
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs





Quase cinco meses após o terremoto que devastou o centro da Itália e arrasou a famosa basílica de São Bento em Núrsia, construída no local onde nasceu o Patriarca do Ocidente, um grupo de bombeiros ingressou nas ruínas e resgatou, assombrosamente intacta, uma imagem do padroeiro da Europa, conforme noticiou ACIPrensa.

Com o terremoto do dia 30 de outubro de 2016, nas regiões italianas de Úmbria e Marche, só a fachada dessa basílica ficou em pé, e mesmo assim em estado periclitante.

Todo o resto virou entulho, do qual foram salvas algumas peças artísticas. O ingresso, inclusive à cripta, ficou interditado, por grave perigo de novos desabamentos.

No dia 21 de março de 2017, na festa do Trânsito de São Bento, alguns bombeiros internaram-se nas profundezas dos restos, chegando pela primeira vez até a antiga cripta sepultada pelos escombros.

E com admiração encontraram a estátua de bronze do santo, que se sabia que estivera ali, constatando estar ela incrivelmente íntegra. Conseguiram resgatá-la.

Os bombeiros italianos no momento que removem a imagem da cripta em ruínas
Os bombeiros italianos no momento que removem a imagem da cripta em ruínas
No vídeo difundido pelos bombeiros (ver abaixo), eles aparecem avançando numas como que cavernas de entulho para chegar à cripta.

Após trazê-la à luz, a bela imagem foi recoberta com uma das casacas dos bombeiros, como eles fazem com as pessoas resgatadas.

Foi nessa cripta que, segundo a tradição, nasceram São Bento e sua irmã Santa Escolástica. O prefeito de Núrsia, Nicola Alemanno, sublinhou que “o incrível é que nessa capelinha completamente destruída, uma pequena estátua de São Bento permaneceu em pé”.

Na praça principal, diante da basílica arruinada, o prior da comunidade beneditina de Núrsia, P. Benedicto Nivakoff, agradeceu ao “nosso padroeiro [que] nos salvou a vida”, porque “é um milagre nós não termos morrido em 30 de outubro enquanto rezávamos no interior da basílica”.

Segundo o jornal “Il Giornale” de Milão, foi uma surpresa achar a estátua, que se encontrava em um nicho.
O prefeito da cidade, citado pelo jornal milanês, disse outra coisa surpreendente:

“Todos os monumentos ficaram danificados, exceto as estátuas de nosso santo protetor”, informou o jornal “Il Corriere della Sera”.

A referência especial é à famosa estátua de mármore do santo, que se ergue isolada no centro da praça principal da cidade.

Ela permanece inabalada, diante da basílica destruída e do prédio da prefeitura gravemente danificado, como outrora os mosteiros beneditinos ficaram em pé numa Europa devastada pelas invasões bárbaras.

A grande estátua de São Bento incólume na cidade em ruínas
A grande estátua de São Bento incólume na cidade em ruínas
Embora alta e sustentada apenas por um pedestal, ficou impávida e íntegra, de um modo considerado “milagroso” pelo jornal milanês.

Os recursos para reconstruir a basílica foram garantidos repetidas vezes pela União Europeia. Além desse financiamento, os monges receberam promessas no mesmo sentido do governo italiano e de organismos internacionais e pessoas do exterior.

Mas irrompeu simultaneamente um anúncio, que poderá causar mais danos ao patrimônio religioso da cidade e da Europa do que o próprio terremoto.

Porém, bispo pode apagar o passado beneditino de Núrsia


Os monges beneditinos de Núrsia informaram que, contrariamente à sua vontade, o arcebispado decidiu não reconstruir a basílica em seu antigo estilo, mas sim num “estilo moderno” que rompe com o passado histórico e a finalidade do prédio.

Os monges explicaram que a Arquidiocese de Spoleto-Norcia é a proprietária dos prédios, segundo informou LifeSiteNews.

Eles receberam ordem de se mudar definitivamente para uma propriedade rural monástica a três quilômetros da cidade.

O Dr. Robert Moynihan, editor da revista “Inside the Vatican”, disse que os monges contaram que as partes remanescentes do convento virarão “residência episcopal temporária”.

Mostra pornográfica na igreja de San Francisco, em Cássia, antes do terremoto. Foto reduzida para não ressaltar os detalhes obscenos
Mostra pornográfica na igreja de San Francisco,
em Cássia, antes do terremoto.
Foto reduzida para não ressaltar os detalhes obscenos.
Revolução Cultural atrai castigos e desgraças.
Veja: "Cara e coroa" dos terremotos na Itália"
Antes do terremoto, os monges levavam uma vida de estrita observância e celebravam o rito extraordinário da Missa em latim.

Eles tinham restaurado importantes partes da basílica e do mosteiro, inclusive a biblioteca, as celas monásticas e a torre do sino, bem como encomendado belos quadros da Crucifixão para o refeitório.

“Essa época da vida do mosteiro acabou, segundo parece”, acrescentou Moynihan.

A decisão do arcebispo de Spoleto-Norcia, Mons. Renato Boccardo, causou consternação.

Diante das reações, em declarações à agência SIR, o bispo pareceu dar meio passo atrás, acenando para “um concurso internacional aberto a todos”, informou ACIPrensa.

Não ficam excluídos os projetos modernistas, mas foram convidados “os grandes nomes da arquitetura”, os quais, de modo geral, são ousadamente vanguardeiros e infensos à tradição católica.

Em termos enrolados, o arcebispo disse visar “um projeto que mantenha reunidas as partes que ficaram da igreja, da fachada, da abside, da base do campanário, unidos com uma nova aula litúrgica que conserve a memória do passado, se abra ao presente e ao futuro valorizando os restos do terremoto que são cicatrizes que não podemos apagar”.

O prelado anunciou que todas as obras artísticas e ornamentos sagrados recuperados nas igrejas foram transladados para uma espécie de museu denominado “local da memória” temporário.

Os monges e os católicos de Núrsia temem que esse seja o destino final do projeto que o arcebispo modernizado deseja ver triunfar a priori “num concurso internacional aberto a todos”, mas com as cartas marcadas para qualquer coisa que não seja a restauração do prédio tradicional.

Se for efetivada essa ruptura com o passado religioso e histórico do local, mãos humanas terão feito uma destruição maior que os terremotos. E mãos episcopais consagradas!


Vídeo: Bombeiros tiram imagem de São Bento íntegra das ruínas




segunda-feira, 3 de abril de 2017

Nossa Senhora de Czestochowa:
padroeira da Polônia continua fazendo milagres

Nossa Senhora de Chestohowa, padroeira da Polônia.
Nossa Senhora de Chestohowa, padroeira da Polônia.
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs



Principal devoção mariana da Polônia, a imagem milagrosa apresenta a Mãe de Deus profundamente meditativa, numa posição de oração e a seu santuário peregrinam sem cessar milhões de poloneses angustiados pelo caos que só faz crescer.

No quadro de Nossa Senhora de Czestochowa notamos duas partes bem distintas: a pintura propriamente dita — o rosto e as mãos de Maria Santíssima, a face e as mãos do Menino Jesus — e a parte de bordados e tecidos, de um luxo extraordinário.

O rosto d’Ela é muito notável, de uma tonalidade escura, protegido contra a luz difusa que aumenta a profunda impressão de recolhimento.

Uma fisionomia de quem não está prestando atenção em realidades externas, mas sim numa realidade interna: uma meditação enquanto segura o Menino-Deus em seus braços.

Ela não está olhando para nada; está com uma fisionomia absorta; nenhum fato externo está influenciando o seu temperamento.

Ela está colocada numa esfera mais alta, numa posição de oração.

O Menino Jesus aponta para Ela, como quem diz:

“Se quereis qualquer coisa de Mim, pedi à Minha Mãe.

“Vede o estado de dependência voluntária em que Me coloquei em relação a Ela.

“Vede como Eu desejei fazer-Me uma criança nos braços d’Ela.

“Para que Ela seja medianeira e a glória passe por meio d’Ela, como a graça também. Então, olhai para Ela”.

Notem a posição calma e nobre da mão bem feita, com os dedos longos e finos; uma mão aristocrática sem ter, entretanto, nada de pretensioso.

Este quadro lembra um ícone — embora seja uma imagem de rito latino, recorda as imagens do rito católico oriental — de riqueza extraordinária, toda a indumentária d’Ela lembra também o fausto oriental.

Sabe-se historicamente que as marcas no rosto da imagem foram produzidas no século XV por hereges, que lhe deram espadagadas por ódio à fé, deixando-a marcada com duas cicatrizes.


O santuário da padroeira da Polônia fica na colina de Jasna Gora (Montanha Branca), em Czestochowa onde é venerado o milagroso quadro de Nossa Senhora de Czestochowa.

Ele foi pintado, segundo a tradição, pelo Apóstolo São Lucas.

Sua coroação como Rainha e Padroeira da Polônia ocorreu há 300 anos, após vitória miraculosa que salvou o país da invasão protestante sueca.

(Autor: Excertos da conferência proferida pelo Prof. Plinio Corrêa de Oliveira em 9 de setembro de 1972. Sem revisão do autor).

Vídeo: Todo dia o início e o fim da veneração da imagem
é objeto de solene e impressionante ato






Outros aspectos do santuário



segunda-feira, 6 de março de 2017

Bispo nigeriano difundiu o terço para liquidar o Islã.
E deu certo!

Dom Oliver Dashe Doeme, bispo da diocese de Maiduguri, Nigéria anunciava que o terço daria a vitória sobre o Islã. E agora está se verificando no país
Dom Oliver Dashe Doeme, bispo da diocese de Maiduguri, Nigéria
anunciava que o terço daria a vitória sobre o Islã. E agora está se verificando no país
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs







O presidente nigeriano Muhammadu Buhari confirmou que os últimos bastiões da guerrilha Boko Haram, que pretendia estabelecer um califado na África nos moldes do ISIS, foram esmagados no bosque de Sambisa, no estado de Borno, nordeste do país.

Desde que iniciou a guerra de expansão islâmica há sete anos, o Boko Haram assassinou mais de 20.000 pessoas e provocou a fuga de mais de dois milhões, noticiou o jornal Clarín, de Buenos Aires.

Ele chegou a controlar vastas áreas do nordeste da grande e populosa Nigéria, e aspirava criar um califado regido pela sharia (lei islâmica) aplicando o esquema de seus aliados do ISIS do Iraque e da Síria.

O governo nigeriano anunciava há tempos que os tinha derrotado, mas os ferozes atentados corânicos continuavam cada vez mais sanguinários.

Por sua vez, o vizinho Níger confirmou que dezenas de membros do Boko Haram que fugiam da Nigéria, se entregaram às autoridades do sul do país, confirmando a derrocada do movimento terrorista, informou a agência Reuters.

Várias outras centenas de terroristas do mesmo movimento já se tinham rendido às autoridades do Chade no fim de 2016.

Dom Olivier: “o Rosário nos dará a vitória sobre todas as formas de mal como na batalha de Lepanto”
Dom Olivier: “o Rosário nos dará a vitória
sobre todas as formas de mal como na batalha de Lepanto”
O que concorreu para uma virada tão radical e a derrocada do movimento muçulmano?

Nada acontece sem uma causa. E o exército nigeriano vinha sendo acusado pela população de moleza e ineficácia contra os terroristas.

Uma pessoa, porém, anunciava sua iminente ruína e fornecia a mancheias a arma para acabar com a sanguinária horda maometana.

Esse homem é Dom Oliver Dashe Doeme, bispo católico de Maiduguri, a “capital” dos terroristas.

Enquanto a diocese era dominada pelo terror, o corajoso prelado pregava a reza do Rosário implorando a intercessão da Bem-aventurada Virgem Maria para acabar com o flagelo muçulmano.

O jovem e destemido bispo não hesitava em sair às ruas de batina e cruz peitoral, difundindo a prática do terço e inspirando respeito até entre a população muçulmana.

Há dois anos, enquanto rezava o terço em sua capela privada, ele disse ter visto a Jesus que convocava todos os católicos a rezar o Rosário para se libertarem do terrorismo do Boko Haram.

Até colegas do episcopado nigeriano ficaram espantados pela intrepidez do bispo da “capital do terror”. Sua iniciativa parecia “louca” aos olhos do mundo e dos católicos moles.

Mas agora que o exército nigeriano liquidou inesperadamente os assassinos insurgentes, o povo se volta para Dom Dashe Doeme e sua pregação. E ele diz que o mérito todo é de Nossa Senhora.

“Antes – declarou ele ao Catholic Herald – os milicianos do Boko Haram estavam por toda parte. Agora eles não estão em lugar nenhum. O Boko Haram será liquidado logo, sobretudo por causa das orações de nosso povo”.

Segundo o bispo, Jesus Cristo lhe teria dado uma espada, e ao pegá-la ela se transformou imediatamente num terço. E Nosso Senhor lhe disse: “O Boko Haram irá embora”.

Dom Oliver levou a mensagem a sério, “consolando o povo de que Nossa Mãe está conosco”.

O povo de sua vasta diocese ficou com a certeza de “que o Rosário nos dará a vitória sobre todas as formas de mal. O Boko Haram é o mal, ISIS é o mal.

O Papa São Pio V segura o terço enquanto o príncipe Don João de Áustria comanda a batalha de Lepanto- Mosaico na Basílica.de.Notre-Dame.de.Fourvière, Lyon, França.
O Papa São Pio V segura o terço enquanto o príncipe Don João de Áustria
comanda a batalha de Lepanto-
Mosaico na Basílica.de.Notre-Dame.de.Fourvière, Lyon, França.
“À medida que abrimos espaço para Nossa Senhora, especialmente rezando o Rosário, que é a mais rezada das devoções marianas, nós sairemos vitoriosos”.

Dom Oliver instalou a recitação do Rosário diário em todas as escolas, famílias e paróquias da diocese.

E explicou ao Catholic Herald, referido por Life Site News, que o Rosário “fez maravilhas, liberou nações”.

Ele citou como exemplo a batalha de Lepanto, em 1571, quando as forças navais católicas derrotaram uma frota do Império Otomano muito mais numerosa.

E aqui no Ocidente, onde estão os bispos ou mais altos hierarcas que preguem o Terço para acabar com a praga do terrorismo e da cristofobia?

Onde está a fé e a devoção a Nossa Senhora?

Emporcalhada no contexto neopagão do Carnaval por mãos sacerdotais, arcebispais e cardinalícias?

O que pode atrair esse emporcalhamento blasfemo?